Após a nessa segunda-feira (18), no Bairro Amambai, em Campo Grande, Moisés Arão Simones Ribeiros, de 20 anos, acusado de matar Matheus Theodoro Alves da Silva, de 24 anos, disse ter sido agredido pela vítima antes do assassinato.

Em depoimento, Moisés afirmou que conhecia Matheus da Vila Nhanhá. Ele ainda revelou que devia droga a uma pessoa que era amiga de Matheus e que a vítima acabou ‘tomando' as dores do traficante. No dia em que foi buscar drogas, a vítima estava no local.

Ainda segundo Moisés, ele estava dentro do carro quando Matheus teria o agredido e que quando saiu do veículo pegou uma que estava no veículo e passou a golpear Matheus, mas que não se lembra quantas vezes golpeou a vítima. Ele fugiu em seguida.

Após o crime, Moisés contou que foi para a casa de sua mãe, mas como sabia que poderia ser encontrado, acabou alugando um quarto, na região central. 

Familiar foi ouvido na delegacia

Na madrugada deste domingo (17), familiar de Matheus foi ouvida na delegacia. Ela contou que o rapaz era usuário de drogas, tinha fama de ‘valentão' no bairro e que disse a ela que “tinha escolhido essa vida”.

Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, a familiar de Matheus foi ouvida na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Cepol, onde comentou que o rapaz era conhecido por ser ‘valentão' no bairro. Ele já teria algumas desavenças e também seria usuário de drogas.

Ainda de acordo com o que foi dito pela parente de Matheus, há um ano ele estaria em tratamento, em uma clínica de reabilitação, mas acabou fugindo. Então, teria dito para ela que “tinha escolhido essa vida e que essa era a vida que ele queria para ele”.

A princípio, o assassinado de Matheus teria sido motivado por uma discussão em um bar, sendo essa a linha inicial de investigação. De acordo com o registro policial, o rapaz foi atingido por facadas no braço, clavícula e costas.

Morto a facadas

No local do assassinato, os moradores relataram versões diferentes aos policiais militares. A informação era de que Matheus teria brigado com os suspeitos, por volta das 14h30 e a discussão continuou até o local onde ele foi assassinado. Ele acabou atingido por uma paulada, quando caiu e então foi esfaqueado diversas vezes. O caso é tratado como homicídio simples.

Matheus foi assassinado com sete facadas (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)