, Ivonete Brandão,

Segundo o delegado Fábio Brandalise, a reconstituição foi feita devido às várias contradições que o preso pelo assassinato apresentou à polícia. Ainda de acordo com Brandalise, a polícia queria entender como tudo aconteceu. 

O preso pelo crime participou da reconstituição, assim como o inquilino de Ivonete que também é investigado pela polícia. O acusado afirmou que entrou na casa, no dia 8 de novembro, após encontrar o portão aberto, e se escondeu para observar o que a idosa estava fazendo.

Em determinado momento, o bandido surpreendeu a idosa e os dois entraram em luta corporal na sala, sendo que Ivonete foi trancada no banheiro enquanto o bandido revirava o quarto atrás de objetos de valor. No dia, foram levados por ele celulares e R$ 400 — que, segundo familiares, seria dinheiro que Ivonete havia recebido de pagamento de aluguel.

Para fugir, o bandido pulou o muro indo embora a pé. Foi comprovado que ele não teve ajuda na fuga. Ivonete foi espancada a socos no rosto e chutes no peito e tórax. Ela conseguiu sair do banheiro retirando as dobradiças da porta, assim, conseguiu pedir ajuda a um vizinho que a levou para a unidade de saúde, onde acabou morrendo devido à gravidade dos ferimentos. 

Quando da prisão do acusado, o delegado disse que ele tinha parentes que moram na região, por isso, conhecia a vítima e sabia da rotina dela, também que era aposentada, e, além disso, tinha um inquilino. Tudo isso levou ele a entender que a vítima tinha dinheiro na casa, por isso resolveu furtar o local. 

Saiba Mais