Polícia

Preso por matar idosa de 64 anos conhecia rotina e teria monitorado a vítima

Ele não era morador no local

Renata Portela e Marcos Tenório Publicado em 29/11/2021, às 16h27

Casa onde Ivonete foi assassinada pelo acusado
Casa onde Ivonete foi assassinada pelo acusado - (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

O homem de 28 anos, preso na última quinta-feira (25) pelo latrocínio de Ivonete Brandão, de 64 anos, já conhecia a rotina da vítima e sabia que ela tinha dinheiro em casa. O crime aconteceu no dia 9 de novembro, nas Moreninhas, e o autor foi preso na região da Nhanhá.

Segundo o delegado Fábio Brandalise, da Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos), a suspeita era de que o autor teria invadido a casa para furtar, mas foi percebido pela vítima. Assim, em um ato covarde segundo relatou o delegado, o homem acabou matando Ivonete.

Delegado Fábio Brandalise

O acusado tem parentes que moram na região e por isso conhecia a vítima e sabia da rotina dela, também que era aposentada e além disso tinha um inquilino. Tudo isso levou ele a entender que a vítima tinha dinheiro na casa e, por isso, resolveu furtar o local. Após a morte de Ivonete, ele fugiu com dois celulares, relógio e aproximadamente R$ 400.

Equipes da Derf fizeram buscas pelo suspeito, que não voltou para casa após o crime. No entanto, foi localizado na região da Nhanhá e confessou o crime na presença de um advogado. Ele responderá por latrocínio – roubo seguido de morte – que pode chegar à pena de 30 anos.

Jornal Midiamax