Segue foragido o suspeito de assassinar com um tiro na cabeça, a cabeleireira Jackeline Aparecida de Souza Galvão, de 37 anos, no último dia 12 de dezembro, em Nova Alvorada do Sul, município distante aproximadamente 110 quilômetros de Campo Grande. O homem de 45 anos se apresentaria na delegacia logo após ter cometido o crime, mas até a tarde desta quinta-feira (16), ele continua foragido.

O Jornal Midiamax conversou com o advogado do suspeito na última segunda-feira (13). Ele disse que seu cliente ‘se apresentaria nas próximas horas’, mas após quase uma semana do crime, o suposto autor não apareceu.

Nesta quinta-feira (16), novamente a equipe de reportagem tentou entrar em contato com o advogado do suspeito, mas as ligações não estão mais sendo atendidas desde ontem (15).

Inicialmente, a suspeita é de que o suposto autor não aceitava o fim do relacionamento com a vítima. Além de atirar em Jackeline, ele ainda teria tentado atirar contra o filho dela, de 10 anos. A filha, de 20 anos, entrou na frente para defender a criança e foi atingida no braço.

Jackeline foi levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Nas redes sociais, familiares e amigos pedem informações sobre o suspeito, para que ele seja encontrado e preso. “Estou sem chão, você é minha vida, como vou conseguir sem você?”, publicou a filha de Jackeline nas redes sociais.

A vítima deixou três filhos. O velório de Jackeline foi realizado em Sidrolândia, município distante aproximadamente 70 quilômetros de Campo Grande, na madrugada da segunda-feira (13).