O Tribunal do Júri absolveu a mãe de santo Ana Maria Calixto, de 56 anos, conhecida como ‘mãe Maria', até então, acusada de participar do assassinato de Hélio Teixeira da Costa, de 29 anos, encontrado degolado em um terreno baldio próximo ao Aeroporto Internacional de , em janeiro de 2017.

Com a decisão dos jurados que a inocentaram, ‘mãe Maria', que está presa há um ano e quatro meses, deve ser colocada em liberdade assim que oficial de Justiça entregar alvará de soltura na Penitenciária Feminina de Campo Grande, onde a mãe de santo cumpria pena.

Durante o julgamento que aconteceu nesta quinta-feira (17) no Fórum de Campo Grande, Ana disse que  disse que ‘Helinho' queria tomar seu lugar no terreiro de umbanda em que foi morto, no Jardim Tijuca. Segundo ela, a vítima estava armada e teria tentado matá-la porque sentia inveja de seu posto.

O caso

No dia do crime estava acontecendo uma festa no terreiro e ‘Helinho' estava participando, quando começou uma confusão e ‘Mãe Maria' que estaria incorporada teria mandado que ele saísse do local, mas a vítima voltou e armada com uma faca disse que mataria a mãe de santo.

Nisso, os quatro presos pelo crime na época, colocaram a vítima em um carro o retirando do local desacordado. Quando voltaram estavam, apenas, de roupas íntimas. Eles teriam dito a mãe de santo que Hélio teria sido deixado em frente de sua residência. Ela negou que tenha pedido para que matassem Hélio, apenas, queria que fosse retirado dom local.

‘Mãe Maria' também foi acusada na época dos fatos de alugar quartos para adolescentes se prostituírem. Os quartos seriam alugados pelo valor de R$ 30 e os programas custavam R$ 230, sendo que metade do valor ficava com a mãe de santo.

Em 2012, em Nova Alvorada do Sul, ‘Mãe Maria' foi acusada de ter várias casas, um total de 30, de prostituição. Ela negou tudo. Estão presos pelo crime, Gleibson José de Lira, de 35 anos, vulgo ‘Lagoa', José Glebeson de Lira, de 34 anos, conhecido como ‘Lagoinha' e Lucas Rodrigues de Almeida de 18 anos.