Outras cinco pessoas estão foragidas

Pelo menos quatro pessoas presas em pelos crimes de roubo, porte ilegal de arma de fogo, formação de e ação que dificulta a defesa da vítima. Outras cinco continuam foragidas, porém eles não tiveram os nomes divulgados. O bando é responsável por um assalto ocorrido no início do ano em um posto de que fica na Avenida Coronel Antonino, região norte da Capital.

Os detidos são Heider José Monteiro Ribeiro, o “Mestre Maranhão”, de 52 anos, Jorge Mendonça Pereira, o “Força Bruta”, de 32 anos, Robert Godoi, “Roi”, de 29 anos, e Cesar Ramires, de 28 anos. O quarteto já estava preso, por ser flagrado cometendo outros crimes distintos.

Os policiais chegaram até a quadrilha, após a delação de Heider e Jorge que foram detidos no dia 1º de abril. Eles foram identificados por conta da câmera de segurança do posto e com isso, acabaram revelando os demais comparsas e crimes praticados.

Posto de combustíveis

No dia 10 de janeiro, a dupla estava em uma das motocicletas que chegaram ao Posto Trokar. Na imagens, há outra moto, na qual estaria Robert e Cesar. Com revólveres e pistolas, a quadrilha rendeu dez pessoas, entre clientes e funcionários.

Eles levaram o grupo para dentro do escritório. Enquanto Jorge e Heider ameaçavam as vítimas. Robert apontava a arma para a cabeça de um cliente que foi obrigado a colocar todo o dinheiro do caixa em uma mochila levada por eles. O quarto integrante, Cesar, ficou do lado de fora, cuidando o local.

A intenção deles não era deixar as digitais, por conta disso, mandaram que um cliente fizesse a busca pelo dinheiro no local. Na mochila foram colocados dinheiro e R$ 1.155,00 em cheques.

Prisões

No dia 31 de janeiro, Robert foi preso por dirigir embriagado e estava custodiado no Centro de Triagem. Já Cesar foi flagrado com uma arma de fogo em 14 de fevereiro e estava no EPSM (Estabelecimento Penal de Segurança Máxima).

Preso, Jorge admitiu que praticou pelo menos quatro assaltos com parte do bando. Já Heider confirmou que praticou cinco roubos. O alvo deles era comércio, como supermercados, lojas de celulares e postos de combustíveis. Eles já eram considerados foragidos, quando foram abordados no dia 1º de abril.

A dupla revelou que faria um assalto naquele dia e por isso estava com a arma de fogo. Eles também revelaram ter rendido uma mulher quando saía de uma academia que fica na Rua Doutor Paulo Machado (antiga Furnas) quase esquina com a Avenida Furnas.

Eles renderam a vítima que entrava em um Honda Fit, colocaram-na no porta-malas e seguiram até a cidade de Ribas do Rio Pardo, onde mantiveram uma família  refém, para ‘fazer  limpa’ no local.

A dupla também admitiu a autoria de um roubo no Bar Rancho do Barba e em uma concessionário de gás.

De acordo com o delegado da (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos), Ivahyr Luiz de Campos, a investigação foi  feita pela unidade com base nas imagens do circuito de segurança dos estabelecimentos comerciais. “Conforme os vídeos dos roubos e os relatos das vítimas, Jorge foi descrito como o mais violento, sendo contido até mesmo por alguns do grupo”, frisa para a equipe do Jornal Midiamax.