As chuvas de monção torrenciais no sul da Índia nos últimos dez dias trouxe as piores inundações no país em um século. A tragédia deixou cerca de 200 mortos e levaram cerca de 220 mil pessoas para acampamentos de emergência.

Os soldados das equipes de emergência tentam resgatar os habitantes do estado de aproximadamente 30 milhões de pessoas com cordas, helicópteros e lanchas dos lugares ilhados pela inundação, mas o número de mortos não para de crescer.

Desde o começo do período de monção em junho, mais de 319 pessoas morreram em incidentes relacionados às chuvas intermitentes, desabamentos e deslizamentos de terra.

Entre junho e agosto, aproximadamente 724 mil pessoas foram amparadas em acampamentos de emergência construídos pelas autoridades nos 14 distritos da região sul da Índia e outras 33.179 foram realocadas, segundo o porta-voz da Divisão de Gestão de Desastres do Ministério Interior indiano, subcomandante Sr.A. Shekhar.

Imagens publicadas por agências que participaram das dos resgates mostram casas submersas e pessoas retiradas das “ilhas” por lanchas que navegam em ruas onde a água chega até a cintura.

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, visitou neste sábado (18) o estado sulista e realizou inspeções aéreas em conjunto com as forças armadas para medir os danos causados pelo desastre.

Modi também anunciou a doação de 71 milhões de dólares para ajudar a lidar com as inundações e as consequências do desastre na é poca de monção, segundo o escritório do chefe de Governo de Kerala.