Bombardeios foram feitos por forças rebeldes

Mais um ataque à cidade síria de Aleppo atingiu um hospital, causando mortes e ferimentos. Nesta terça-feira (3), extremistas bombardearam vários locais controlados pelo regime de Bashar Al-Assad, incluindo um hospital e deixando ao menos três mulheres mortas, além de ferimentos em 17 crianças e outras mulheres.

O OSDH (Observatório Sírio de Direitos Humanos), ONG síria com sede em Lonfdres, confirmou que houve os ataques, além de declarar que o hospital teve, além das vítimas, graves danificações. Segundo um funcionário de saúde da cidade, há quatro mortos e ao menos 30 feridos, sendo que metade deles é formada por mulheres e crianças.

A cidade continua sendo palco de combates, apesar de um cessar-fogo feito no fim de fevereiro deste ano. A violência, nos últimos dias, tem aumentado em Aleppo. Mais de 50 pessoas morreram, na semana passada, durante bombardeio aéreo em outro hospital, que fica em uma área controlada por extremistas.