O Parque das Nações Indígenas é considerado ponto de encontro das famílias no domingo, o ambiente calmo também abre espaço para opções de animação em shows gratuitos. Nesta edição do MS Ao Vivo, o cantor e compositor Rubel sobre aos palcos, aproveitando o entardecer de Campo Grande.

Os artistas da Technofighters, formado pelos DJs André Garde e Renato Tuluxx, e Forró Ipê de Serra abrem a atração na tarde deste domingo (10). Rubel embala discos como o “As Palavras Vol. 1 & 2”.

Entre quem chegou cedo, adolescentes e jovens se anteciparam para escolha do melhor lugar, por volta das 16h, já ocupavam o gramado. Ana Caroline Barreto, 16 anos, se diz muito fã de Rubel e chegou cedo, por volta das 15h para poder ficar perto do palco. “É o primeiro show que vou ver dele, então, estou com uma expectativa alta”.

Mesmo com a juventude estampada, Andressa Lima, de 42 anos, contou que relembrou épocas de shows que frequentava quando era mais jovem. Ela aproveitou para levar as duas sobrinhas, de 15 anos, que são fã do cantor.

“Esse evento me lembrou os shows que tinham há uns anos, quando eu era mais jovem tinha essa oportunidade e agora elas que são adolescentes também tem, é muito bom ver eventos culturais na cidade”.

Entretanto, Andressa é deficiente física e reclama da falta de acessibilidade para PcD (Pessoa com Deficiência). Ela reforça que se não estivesse com a família, não conseguiria fazer coisas sozinha no parque, por exemplo, comer e voltar.

(Henrique Arakaki, Midiamax)
Andressa foi com as sobrinhas para aguçar a ‘sensação de show’ na família (Henrique Arakaki, Midiamax)

Nem calor desanima

Campo Grande enfrentou dia quente de quase 33°C, mesmo assim, nada desanimou quem chegou cedo para assistir. O que mais se via no gramado eram famílias sentadas em sombras e munidas com a garrafa térmica e o tereré.

Mauricio de Moura, 53, estava passeando pelo parque e resolveu ficar ao notar a atração, junto com a esposa. “Sempre que fico sabendo de eventos assim de graça eu costumo vir porque é bom ter shows gratuitos”

Lislei Cristina, 46, foi acompanhada do marido, da filha Natani Maíra, 19, e o filho, 9. “Eu morava em São Paulo e sempre falo para minha filha que quando eu era jovem tinha muito evento assim para ir. Fico feliz que tenha aqui em Campo Grande para ela aproveitar também”

Há jovens que “arrastam” os pais, como Natani Maíra, de 19 anos, que convenceu a família para curtir o show. “Meus pais sempre me acompanham em eventos assim, então foi fácil convencer eles”.

lislei
Lislei frequentava shows em São Paulo e quer repercutir a curtição de shows ao ar livre com a família (Henrique Arakaki, Midiamax)

Movimento do comércio

Se há público, precisa de “comes e bebes”. Além dos comerciantes no entorno do parque, tendas e ambulantes credenciados aproveitaram para fazer renda dentro do evento. William Paredes, sommelier da 067 vinhos, estava receoso por conta do tempo, mas ficou feliz que o clima estabilizou.

“A expectativa é alta porque o clima está bom, quando anoitecer o pessoal começa a vir. Lá vende hambúrguer e chope, os preços estão entre R$ 20 e 25”.

Investindo no pastel, Rafael Domingos, disse que consegue fazer dinheiro para vários dias em um evento desses. Ele tem uma barraca com vários sabores a R$ 10. “As pessoas estavam sentindo falta de um evento ‘0800’ e aqui se reúne todas as tribos, todos os gostos e isso que é importante, as expectativas são as melhores possíveis”, finaliza.

MS ao Vivo tem cronograma de shows gratuitos (Henrique Arakaki, Midiamax)