O Ministério do Turismo confirmou nesta quarta-feira (17) que o secretário-executivo da pasta, Frederico da Silva Costa, oficializou seu pedido de demissão. A exoneração deve ser publicada no “Diário Oficial da União” nos próximos dias.

Segunda assessoria, Frederico entregou uma carta de demissão ao ministro do Turismo, Pedro Novais.

Frederico da Silva Costa foi um dos 36 presos na Operação Voucher, da Polícia Federal, que investigou desvio de verbas no Ministério do Turismo. Segundo a PF, o dinheiro de um contrato de R$ 4,4 milhões do ministério com uma entidade privada, destinado à formação de agentes de turismo no Amapá, era desviado para empresas de fachada. Na sexta-feira, Costa deixou a prisão em Macapá (AP) após pagar fiança de R$ 109 mil.

Durante depoimento na Câmara, o ministro disse que o secretário-executivo da pasta é um funcionário “conceituado”.

“O Frederico é muito conhecido no Congresso, ele entrou na gestão do ministro [Walfrido] Mares Guia. Atendeu a uma quantidade imensa de parlamentares. É um dos mais conceituados funcionários dentro do ministério”, afirmou. “Eu o promovi a secretário-executivo, a escolha coube a mim”, completou Novais.