Bancários protestaram hoje (16), em frente ao Banco Central, contra a ampliação do número de correspondentes bancários no país e também dos serviços oferecidos por esse tipo de prestador que trabalha com operações bancárias. Cerca de 500 bancários participaram da manifestação e de uma cerimônia de lavagem da rampa, com a participação de pais de santo e baianas.

Os correspondentes são pontos de atendimento que oferecem serviços bancários como, por exemplo, lotéricas, os Correios, supermercados, padarias e farmácias.

Para os bancários, resoluções recentes do Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizam os bancos a repassarem praticamente toda a atividade bancária aos correspondentes e precarizam as relações de trabalho e o atendimento à população.

Na avaliação do secretário-geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), Marcel Barros, a ampliação dos correspondentes terceiriza o trabalho dos bancários e afasta os clientes de baixa renda das agências bancárias. “Os clientes ficam sem direito ao atendimento bancário de verdade”, disse.

A Câmara dos Deputados debate o assunto ainda hoje, em audiência pública.