O último tremor, que alcançou magnitude cinco, foi sentido às 15h43 (horário local e de Brasília), e seu epicentro foi na região de O’Higgins, localizado 140 quilômetros da capital Santiago, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos.

Segundo o Instituto de Sismologia da Universidade do Chile, o primeiro tremor desta quinta-feira aconteceu às 9h53 (horário local e de Brasília), com uma magnitude de 5,2.

Às 10h27 (hora local e de Brasília), um segundo tremor de 4,3 graus foi registrado na região de O’Higgins, com epicentro na cidade litorânea de Pichilemu.

Um terceiro sismo de magnitude 5,1 afetou a zona centro-sul do Chile, e seu epicentro foi localizado 57 quilômetros ao sul de Pichilemu.

Desde 26 de março, a regiões de O’Higgins, do Maule e do Biobío, todas elas castigadas duramente pelo terremoto e tsunami de 27 de fevereiro, foram estremecidas por 30 tremores de terra entre 3,3 e 5,9 de graus de magnitude na escala Richter.

O terremoto de 8,8 graus e o posterior tsunami que assolaram o centro e sul do Chile em fevereiro deixaram mais de 400 mortos, 98 desaparecidos, 800 mil desabrigados.