Com um direito a um golaço de voleio do experiente atacante André, de voleio, Ponte Preta e Vitória empataram por 2 a 2 neste domingo, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP), pela 20ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O tropeço fora de casa impediu o time baiano de retomar a liderança da tabela.

A Ponte Preta demorou apenas 13 minutos para marcar os dois gols no primeiro tempo, com Léo Naldi e André, mas jogou sem Matheus Jesus, expulso por um carrinho em Matheusinho, desde os 18 do primeiro tempo. Léo Gamalho, aos 15 do segundo tempo, de pênalti, diminuiu para o Vitória. Aos 30, Iury Castilho empatou

A partida marcou a estreia do técnico Pintado e colocou o time paulista, com 25 pontos, na 13ª colocação. O Vitória, com o empate, ficou na segunda colocação, com 38 pontos. Se tivesse vencido, teria desbancado o Novorizontino da liderança – o time paulista soma 39 pontos após vencer o Vila Nova por 3 a 1.

Apostando na intensidade, aos oito minutos o time paulista abriu o marcador. Artur fez boa jogada pelo lado esquerdo, cruzou alto na área na medida para Léo Naldi. O volante veio na velocidade, testou firme, a bola ainda tocou no travessão antes de entrar.

Mais cinco minutos e a Ponte Preta ampliou. Léo Naldi recebeu pela direita, cruzou para André que, na entrada da área, acertou um lindo voleio para marcar um golaço. O goleiro Lucas Arcanjo ainda saltou e tocou na bola antes dela entrar.

Em vantagem no placar, porém, a Ponte se complicou dois minutos depois. Matheus Jesus deu um carrinho por trás em Matheusinho e após consulta ao VAR, o árbitro expulsou o volante pontepretano

Com vantagem numérica em campo, o Vitória tratou de se recuperar e ir ao ataque. Mesmo com maior posse de bola, o Vitória não foi objetivo para criar uma chance real de gol na primeira etapa e pouco incomodou o goleiro Caíque França.

Para o segundo tempo, Pintado reforçou a marcação da Ponte. Sacrificou o meia Elvis e o atacante Eliel para as entradas de Samuel Andrade e Mailton. O Vitória voltou pressionando desde o início, principalmente acionando Wellington Nem pelo lado esquerdo.

Logo aos 12 minutos, após consultar o VAR, o árbitro marcou pênalti em toque de mão de Edson, após cruzamento do lado esquerdo. Léo Gamalho bateu rasteiro e no canto direito, sem chance para Caíque França, que escolheu o lado certo.

Com o gol, a pressão do time baiano aumentou e a Ponte se posicionou no campo defensivo e só saia em eventual contra-ataque. O time paulista, aos 26, até chegou a marcar o terceiro, com Mailton de fora da área, mas o gol foi anulado, após o árbitro assinalar um toque de mão no início da jogada.

O Vitória seguiu na pressão e conseguiu o empate aos 40 minutos. Giovanni Augusto cruzou da esquerda para o meio da área e Iury Castilho bateu, da entrada da área, firme, sem chances para Caíque França.

A Ponte Preta entra em campo pela 21ª rodada na quarta-feira diante do Criciúma, fora de casa, às 19h. No mesmo dia, o Vitória recebe o ABC em Salvador, às 21h30.