A história de Neymar no Paris Saint-Germain nunca esteve tão perto do fim. Com o jogador sendo alvo constante de protestos da torcida, o clube se movimenta internamente para se livrar do brasileiro na próxima janela de transferências, em julho, de acordo com o jornal francês L'Equipe.

De fato, o próprio brasileiro, que antes relutava em deixar o clube apesar do insucesso esportivo, mudou de ideia após torcedores cercarem a sua casa.

Neymar está sem jogar desde fevereiro, quando machucou novamente o tornozelo direito. Contudo, mesmo fora de ação, o camisa 10 está em desgraça com o torcedor do PSG, que deposita no brasileiro as frustrações pelas eliminações na Liga dos Campeões e na da –no Campeonato Francês, o título está próximo.

Lionel também não goza de prestígio e já teria até comunicado o time de que não fica após o fim da temporada. Além disso, o argentino está suspenso após viajar para a Arábia Saudita com a família sem avisar o clube.

De acordo com o L'Equipe, o presidente Nasser Al-Khelaïfi quer mudar o perfil do elenco. Isso para tentar enfim vencer a Liga dos Campeões, seu sonho de consumo e o da torcida. Para isso, a diretoria está disposta até mesmo a emprestar Neymar, sem a necessidade do pagamento da multa rescisória. Uma proposta perto da faixa salarial pedida pelo jogador deve ser aceita.

Contrato de Neymar com o PSG vai até 2027

Aos 31 anos, Neymar tem contrato com o PSG até junho de 2027. Então, durante a novela pela renovação do astro Kylian Mbappé, único que passa incólume pelo crivo do torcedor, a imprensa local relatou que uma das exigências do francês era a saída do brasileiro.

Na mesma época, Neymar ativou uma cláusula contratual prorrogando seu contrato por mais dois anos, irritando a diretoria.

Desde que chegou ao PSG, Neymar amargou 4 eliminações nas oitavas de final da Liga dos Campeões em 6 temporadas. O mais perto que o time chegou foi um vice-campeonato, em 2020, quando perdeu o título para o Bayern de Munique.

Brasileiro pode parar no futebol inglês

Neymar deixou o Barcelona em 2017 como a maior contratação da história do futebol – € 222 milhões de euros (cerca de R$ 880 milhões à época). As cifras astronômicas envolvendo o craque brasileiro limitam bastante o leque de equipes com capacidade para contar com o seu futebol.

O Chelsea, que gastou R$ 1,8 bilhão na última janela de transferências e conta com o magnata americano Todd Boehly como novo dono, foi quem chegou mais perto de fazer uma oferta.

O Manchester City teria condições plenas de contratar Neymar, mas nunca demonstrou interesse. Porém, é justamente o seu arquirrival, o Manchester United, que surge como possível destino para o brasileiro.

A imprensa inglesa noticiou na última semana que o xeque Jassim bin Hamad Al Thani, do Catar, pretende fazer uma proposta para comprar o United. Ele quer contratar o brasileiro para capitanear o seu projeto. A família Glazer, dona de 90% das ações do clube, é alvo de protestos dos torcedores pelo ostracismo da equipe nos últimos anos.

Com o novo proprietário, o alto salário de Neymar deixaria de ser problema. Por fim, o fato de tanto Al Thani quanto Al Khelaifi serem do mesmo país também facilitaria o negócio.

Pelo PSG, Neymar conquistou 13 títulos domésticos, entre Campeonato Francês, Copa da França e Copa da Liga Francesa. O atacante conviveu com problemas físicos desde sua chegada, estando ausente em três das últimas eliminações do PSG na Liga dos Campeões.