A PMA (Polícia Militar Ambiental) de recolheu um filhote de lobinho (Cerdocyon thous), que havia sido resgatado na margem de uma vicinal, denominada Pontal, na área rural do município, a 8 km da cidade.

O animal foi entregue por um capataz de fazenda, de 39 anos. Ele teria encontrado o filhote ao lado de sua mãe, que foi vítima de atropelamento e veio a óbito.

O filhote apresentava-se desidratado e faminto, e foi recolhido. Ele foi hidratado, recebeu alimentação e foi encaminhado para atendimento de um veterinário voluntário, no Raras (Recinto de Reabilitação de Animais Silvestres) de Bonito, que tem ajudado muito a PMA nos casos com animais feridos. O bicho ficou aos cuidados do médico veterinário Marcelo Aparecido de Jesus Mathias.

Assim que esteja estabilizado, o lobinho poderá ser encaminhado ao CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) em Campo Grande, e quando possível, será reintroduzido em seu habitat.

Orientações sobre o atropelamento de animais

A Ambiental tem verificado que muitas vezes as pessoas não socorrem os animais atropelados, por medo de ser crime. A PMA orienta que não existe crime ao atropelar um animal sem intenção. No caso, o procedimento correto é parar o veículo em local seguro e, com segurança, verificar se ele está morto.

Se não estiver, efetue o socorro, pois toda vida tem um sentido e vale a pena, ou se não houver como socorrê-lo naquele momento, acione, assim que possível, os órgãos públicos para que o bicho receba o atendimento adequado.

Se o animal estiver morto e estiver na pista de rolamento, com segurança, retire-o para o acostamento, para evitar que outro usuário da rodovia possa vir a se acidentar e, às vezes, até matar a si e sua família, em novo possível acidente. Uma atitude simples, que pode evitar uma tragédia.

No caso deste animal, o motorista que o atropelou não teve a sensibilidade de realizar o socorro, porém, o bicho foi salvo graças à atitude do cidadão que o viu e o socorreu.