Um dia depois dos jornais americanos Page Six e US Weekly afirmarem que a equipe da cantora Taylor Swift teria entrado em contato com a família de Ana Clara Benevides, a jovem sul-mato-grossense de 19 anos morta durante o show da cantora no dia 17 de novembro, a família negou que tenha recebido qualquer contato.

O corpo de Ana Clara foi sepultado na tarde desta terça-feira (21) na cidade de Pedro Gomes, a 306 quilômetros de Campo Grande. Antes, na segunda, a jovem foi velada em , cidade onde parte da família dela vivia. Atualmente Ana Clara morava em Rondonópolis, no Mato Grosso, onde cursava faculdade de Psicologia.

Publicações de jornais americanos divulgadas no início da semana revelaram que a cantora Taylor Swift determinou que sua equipe entrasse em contato com a família de Ana Clara. No entanto, em entrevista ao Jornal Folha de São Paulo nesta terça (21), Gabriela Benevides, prima de Ana, negou qualquer contato da equipe. “É fake isso”, disse.

Parentes de Ana Clara não responderam às tentativas de contato do Jornal Midiamax. Amigos disseram à reportagem que os parentes estão muito abalados e evitam contato com a imprensa.

O contato da equipe da cantora americana era tão esperado pela família em razão de dificuldades financeiras encontradas por parentes para fazer o traslado do corpo da jovem do Rio de Janeiro para . Amigos tiveram de promover uma vaquinha para arrecadar a quantia de R$ 30 mil, valor necessário para o processo.

Ana Clara teve hemorragia no pulmão

A causa da morte da fã de Mato Grosso do Sul ainda está em processo de investigação. A principal suspeita é que ela tenha morrido devido ao calor que fazia no estádio Engenhão, no Rio de Janeiro, durante o show. A sensação térmica, segundo a imprensa local, chegou a 60ºC no estádio.

Os exames iniciais do Instituto Médico Legal carioca revelam que a jovem teve hemorragias no pulmão. A condição ocorre, entre outras causas, quando o corpo é submetido ao calor extremo.

Exames complementares ainda ficarão prontos, como o que indica presença de materiais toxicológicos no corpo.

Segundo fã de MS morreu após show de Taylor Swift

Gabriel Mongenot Santana Milhomem Santos, de 25 anos, também foi uma das vítimas que perdeu a vida durante a semana de na cidade, no domingo (19). O sul-mato-grossense foi assassinato com uma facada na praia de Copacabana. Ele era um dos que teria ido à cidade carioca para ver a cantora Taylor Swift.

O corpo de Gabriel foi sepultado em Campo Grande nesta terça. Gabriel era filho da secretária-adjunta da SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social), Inês Mongenot.

Saiba Mais