O corpo de Ana Clara Benevides, que morreu aos 23 anos na última sexta-feira (17), durante o primeiro show de Taylor Swift com a “The Eras Tour”, no , foi enterrado na manhã desta terça-feira (17) em .

Cercada de familiares, amigos (da cidade e da universidade) e de moradores que se sensibilizaram, Ana foi enterrada enquanto os presentes rezavam. Ela cursava o 8º semestre de na UFR (Universidade Federal de Rondonópolis).

Até a chegada do corpo, a família relatou que enfrentou burocracia, além de não receber apoio financeiro da organização do show e da equipe da cantora, foi realizada uma vaquinha para o pagamento do translado. O pai e uma prima de Ana chegaram a viajar para o para agilizar os trâmites.

O corpo de Ana chegou de avião em Campo Grande, três dias após a morte no Rio de Janeiro. Da Capital de MS, seguiu para , onde foi velada durante a noite e madrugada. Depois, foi encaminhada para Pedro Gomes, município que nasceu.

Após um velório na sua cidade de nascença, cortejo acompanhou o caixão até o Cemitério Municipal. Ana nasceu em Pedro Gomes, mas viveu grande parte da vida em Sonora até se mudar para Rondonópolis para fazer faculdade.

Causa da morte

A Polícia Civil do Rio de Janeiro divulgou o resultado de um dos resultados dos exames de Ana Clara Benevides, fã sul-mato-grossense que morreu no show da cantora Taylor Swift. O laudo mostra pequenas hemorragias no pulmão da jovem.

A delegada que investiga o caso, Juliana Almeida, informou ao site CNN que ainda faltam outros exames, como o toxicológico e histopatológico. A causa deve ser divulgada com a conclusão das avaliações médicas.

“Calor, insolação e desidratação são alguns desses fatores, mas sem o resultado dos exames, não temos como afirmar que seja isso”, diz a responsável ao site.