O Corpo de Bombeiros tem atendido uma alta demanda para atuar em incêndios florestais, principalmente na região do Pantanal. Diante desse , foram reforçadas as equipes de monitoramento dos municípios de , , Miranda e Coxim.  

A partir dessas bases, os combatentes podem seguir para qualquer ocorrência para a qual seja solicitado o apoio dos bombeiros no Estado.

“Todo o tem condições climáticas e de estiagem que são preocupantes. Porém, o bioma Pantanal requer uma atenção maior. Por isso, nós reforçamos as guarnições em pontos mais críticos”, explicou a tenente-coronel Tatiane Inoue, chefe do CPA (Centro de Proteção Ambiental), que faz o monitoramento do Estado.

Atendimentos

Em quase três meses em alerta – período que iniciou no dia 17 de julho –, o Corpo de Bombeiros Militar já atuou em oito grandes incêndios florestais no Estado, sete deles em diferentes regiões do Pantanal e um em Bonito (no mês passado).

O último grande foco combatido foi na região do Paiaguás onde, por se tratar de uma região de difícil acesso, uma guarnição de bombeiros militares especialistas contou com o apoio do Grupamento de Operações Aéreas para chegar próximo do e em apenas três dias controlaram e extinguiram o fogo, utilizando estratégias adequadas para o combate.

Os bombeiros também monitoram a região do Nabileque – que teve um foco de incêndio nesta última quinta-feira (5), o local já sofreu com o fogo no início de outubro –, e a terra indígena Kadiwéu.

Monitoramento

O CPA (Centro de Proteção Ambiental) do Corpo de Bombeiros funciona em Campo Grande e é o responsável por monitorar os focos e direcionar as guarnições para os pontos mais sensíveis em que há necessidade de atuação dos bombeiros. O monitoramento é feito pelo Sistema de Comando do Incidente em Campo Grande, com imagens de satélite que são analisadas 24h por dia. Assim é possível fazer o acompanhamento em caso de aparecimento e evolução dos focos de calor.

“Hoje estamos com duas guarnições atuando no combate a incêndio e monitoramento na região de amortização do Parque Estadual do Pantanal do ”, explicou a tenente-coronel Tatiane.

Saiba Mais