Previsão indica pancadas de chuva e frio de 10°C na próxima semana em Mato Grosso do Sul

Mudança no tempo deve ocorrer na próxima semana; confira
| 07/07/2022
- 18:37
Previsão indica pancadas de chuva e frio de 10°C na próxima semana em Mato Grosso do Sul
(Foto: Henrique Arakaki, de arquivo, Midiamax)

Com tempo seco e umidade relativa do ar chegando a 20%, pode ter o clima aliviado na próxima semana. Isso porque a previsão do tempo indica que pancadas de chuvas devem ocorrer e temperaturas voltam a cair, com mínima de 10°C.

Conforme indicou o portal The Weather Channel, a partir de terça-feira (12) as temperaturas amanhecem mais frias nas cidades da região Sul, como nas cidades de Ponta Porã, Sete Quedas e Amambai. Há previsão de pancadas de chuva, que devem refletir nos termômetros, com mínimas de 10ºC. No entanto, durante a tarde, as temperaturas podem chegar a 30°C.

Em Campo Grande a previsão indica que, na mesma data, haverá pequeno declínio na temperatura, com mínima em 16ºC - quando nos dias anteriores terá sido na dos 22ºC -, porém, o tempo segue firme, com termômetros alcançando os 32°C. Pelo menos para as próximas duas semanas, não há previsão de chuva para a Capital. O tempo segue seco e com calorão.

Fenômeno deixa inverno mais quente em MS

Nesta quarta-feira (6), o Midiamax divulgou que um fenômeno da Antártica tem causado as ondas de calor em pleno inverno em Mato Grosso do Sul.

Conforme divulgado pelo portal UOL, o fenômeno responsável pela ausência do frio é a Oscilação Antártica, uma das mais importantes variáveis que impactam as condições no Brasil e no Hemisfério Sul, tanto na chuva quanto na temperatura. Por isso os dias secos em MS.

De acordo com o Climatempo, as temperaturas no começo deste mês de julho estão muito acima da média histórica em quase todo o Centro-Sul do Brasil, com exceção da Metade Sul gaúcha. Cidades de Santa Catarina e do Paraná têm igualmente enfrentado tardes quentes, com marcas acima dos 30ºC.

"Inevitavelmente, o mês de julho vai terminar com temperatura acima a muito acima da média na maior parte do Centro-Sul do país porque, mesmo na hipótese de uma onda de frio mais intensa na segunda metade do mês, o desvio positivo de temperatura vai ser tão grande nesta primeira quinzena de julho que um episódio de ar gelado apenas reduziria as anomalias acima da média e não faria o mês encerrar com temperatura abaixo dos padrões históricos", explica a meteorologista Estael Sias.

Veja também

Carga horária dos professores será de 20h semanais e remuneração de R$ 3,2 mil

Últimas notícias