“Não está faltando medicamento em Campo Grande”, rebate secretário sobre greve dos servidores da saúde

| 31/03/2022
- 12:02
“Não está faltando medicamento em Campo Grande”, rebate secretário sobre greve dos servidores da saúde
Titular da Sesau, José Mauro. Foto: Nathalia Alcantâra

O titular da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), José Mauro Pinto de Castro Filho, disse que “não está faltando medicamento em Campo Grande”. A fala dele ocorreu, nesta manhã (31), na câmara de vereadores, enquanto muitos servidores aderiram à greve por salarial e denunciaram o problema. Com isso, muitos pacientes foram pegos de surpresa em farmácias públicas das UBSs(Unidades Básicas de Saúde). 

“A greve, neste período, pode ter conotação política, principalmente porque sabemos da saída do prefeito no próximo sábado (2)”, complementou. 

Ao Jornal Midiamax, um agente funerário, que prefere não se identificar, disse que procurou a UBS Lar do Trabalhador e foi surpreendido por placas de aviso quanto à greve. Na ocasião, ele disse que poucos funcionários que estavam no local permaneciam sentados e não prestaram atendimento. 

“Estou com quatro receitas de remédio e não tem como pegar. Terei que ir à farmácia para ver o valor, porém, não tenho condições de comprar todos”, reclama.

Na UBS a mesma situação, uma mãe, que também preferiu anonimato, disse que precisava de medicamentos para a febre da filha, de 4 anos, entretanto, as portas da farmácia estavam fechadas e sem nenhum servidor. “Não pensam em quem precisa. Hoje está chovendo e eu vim cedo”.

A paralisação está junto com os servidores administrativos, que aprovaram o indicativo de greve. De acordo com o Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande), esta quarta-feira (30) seria a data limite para que a Prefeitura Municipal apresentasse proposta ou iniciasse algum tipo de conversa com a categoria. Vale lembrar que uma passeata foi realizada na última sexta-feira (25).

Veja também

Benefício de R$ 53 é pago a 5,68 milhões de famílias

Últimas notícias