Líder em ranking nacional de zika, cidade de MS diz ter 2 casos positivos da doença

Levantamento nacional coloca Chapadão do Sul como cidade com maior taxa de incidência da zika no país em maio
| 26/05/2022
- 11:33
Líder em ranking nacional de zika, cidade de MS diz ter 2 casos positivos da doença
Zika vírus é transmitida pelo mosquito Aedes (Foto: Ilustrativa)

A Secretaria de Saúde de Chapadão do Sul, cidade distante 329 quilômetros de Campo Grande, afirma que o município que liderava ranking nacional de registros de Zika Vírus no início de maio tem apenas dois casos positivos para a doença. Em relatório do Ministério da Saúde publicado na semana passada, a cidade possuía a mais alta taxa de incidência do país.

Conforme os números do Ministério, até o início deste mês eram 236 registros de casos na cidade. Segundo a secretaria municipal, a maior parte das notificações foi descartada após exames laboratoriais e até o momento são apenas dois casos confirmados na cidade.

Novos dados atualizados pelo município nesta quinta-feira (26) mostram que o número de notificações para a doença já passou para 320, mas que 317 foram descartados e um deles ignorado.

"A Secretaria de Saúde reforça que a população deve continuar no combate ao aedes aegypti, principal transmissor da Dengue, Chikungunya e ", informou o município em nota.

Alta incidência

De acordo com os dados do levantamento divulgado na semana passada, Mato Grosso do Sul somava 303 casos até o início do mês. O número fez com que a incidência de casos, que é a média de registros da doença a cada 100 mil habitantes, chegasse a 10,7, o que deixa o Estado na 4ª colocação nacional em incidência de zika.

O que chama atenção no relatório é que a cidade de Chapadão do Sul, distante 329 quilômetros de Campo Grande, representa 71% de todos os registros estaduais da doença. Com 236 casos, a taxa de incidência na cidade que possui mais de 26,4 mil habitantes é de 890,6, a maior do Brasil para a doença.

Zika vírus, sintomas e surto nacional

Transmitida através da picada do mosquito Aedes aegypti, a zika se manifesta na pessoa infectada com sintomas semelhantes aos da dengue. Entre eles, manchas avermelhadas pelo corpo, febre, dor nas articulações, dor atrás dos olhos, inchaço nas mãos e pés e cansaço extremo.

Entre os anos de 2015 e 2016, o Brasil enfrentou um surto do vírus zika, infectando até 15% da população do país. Um dos principais impactos da doença se deu em grávidas, que após serem infectadas pelo vírus, deram à luz a crianças com microcefalia.

A forma de combate à doença é semelhante a todas transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, a dengue e a chikungunya. Diminuir ao máximo os criadouros do mosquito é a única maneira de impedir a procriação do mosquito e consequentemente a infecção pelos vírus que transmitem as doenças.

Confira algumas medidas de prevenção da zika:

  • Tampar tonéis d'água;
  • Manter calhas limpas;
  • Manter garrafas ou recipientes de boca para baixo;
  • Limpar e trocar areia dos vasos de planta semanalmente;
  • Manter lixeiras tampadas;
  • Preservar ralos limpos.

Veja também

Moradores presenciaram acidentem e relatam perigo em estrada vicinal

Últimas notícias