Cotidiano

Aumento de casos de Covid-19 reflete em internações em leitos clínicos e 20 serão ativados no Pênfigo

Mais 20 podem ser colocados em funcionamento no Hospital Regional

Mayara Bueno Publicado em 09/01/2022, às 11h04 - Atualizado às 11h25

Demanda por leito clínico aumentou no começo de 2022
Demanda por leito clínico aumentou no começo de 2022 - (Foto: Chico Ribeiro, Governo do Estado, Arquivo)

A explosão de casos de Covid-19 na primeira semana de 2022 resultou em aumento da procura em postos de saúde e internações em leitos clínicos (destinados a pacientes em condição estável de saúde), segundo disse o secretário de Saúde, José Mauro Filho, neste domingo (9).

Devido ao cenário, 20 leitos serão ativados no Hospital do Pênfigo na quarta-feira (12) e a mesma quantidade é prevista para a Santa Casa. O HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), referência no tratamento da doença em Mato Grosso do Sul, também deve receber mais estrutura de internação.  

Durante a primeira semana, o titular afirmou que a elevação de confirmações não resultou em aumento de pacientes em UTIs (Unidade de Terapia Intensiva), dado que, neste domingo, reafirma. "Estamos monitorando diariamente a situação", acrescenta. O aumento o qual se refere [procura por atendimento e demanda por leito clínico] tem relação não só com pacientes positivados para Covid-19, mas de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave). 

Reforço na campanha de vacinação

Além da ativação de leitos, a Prefeitura de Campo Grande reforça a campanha de vacinação contra a doença. No momento, aguarda-se envio de doses e outras orientações, para início da imunização de crianças de 5 a 11 anos, mas as vacinas referentes à primeira, segunda, terceira e quarta dose, seguem disponíveis nos postos de saúde e drives, com exceção deste domingo, que conta apenas com o polo do Albano Franco.

Sobre a quarta dose, que hoje está autorizada para quem possui imunocomprometimento grave e concluiu o ciclo vacinal há pelo menos 28 dias, , José Mauro explicou que deve ser adotada neste ano como reforço anual, medida comum em outras campanhas de vacinação, como a da gripe. Porém, ainda não há deliberação a respeito do assunto por parte do Ministério da Saúde.

Jornal Midiamax