A jovem Julia Vitoria Francisca de Moura, 20 anos, foi surpreendida, pelo segundo mês seguido, com a suspensão de suas sessões de quimioterapia, que faz no HRMS ( de Mato Grosso do Sul).

Ela faz tratamento para leucemia desde março na unidade e teme que a falta do tratamento pode causar prejuízos e sintomas mais severos da doença. “Se não fizer essa , a doença pode voltar de uma forma muito mais agressiva”, explica.

A internação da paciente estava marcada para essa quinta-feira (06), mas foi suspensa. “Já estou nas últimas sessões de quimio e não posso ficar sem fazer. Tenho que internar dia 6. Eu faço uso do remédio chamado Sistarabina 27g e novamente está em falta”, lamenta.

Divergência

Via assessoria de comunicação, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) informou que o medicamento não está em falta e que as sessões de quimioterapia estavam sendo realizadas normalmente, dentro dos critérios de biossegurança contra o .

Entretanto, Julia encaminhou para a reportagem do Jornal Midiamax conversa gravada com um funcionário do hospital em que é informada sobre a falta desse medicamento.

Ouça o áudio:

Em nota, a SES informou que será aberta sindicância para “apurar o comportamento do funcionário”.