Cotidiano

Polêmica: Médica de Campo Grande pergunta voto antes de decidir se paciente ‘merece’ alta

Uma médica que trabalha na rede pública da Capital causou polêmica nas redes sociais depois de postagem em unidade 24h em que estaria de plantão neste domingo (28), na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) nas Moreninhas, em Campo Grande. Na postagem, a médica afirma que perguntaria o voto de cada paciente e só então decidiria […]

Mariane Chianezi Publicado em 28/10/2018, às 09h09 - Atualizado às 19h48

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Foto: Reprodução/Redes Sociais - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Uma médica que trabalha na rede pública da Capital causou polêmica nas redes sociais depois de postagem em unidade 24h em que estaria de plantão neste domingo (28), na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) nas Moreninhas, em Campo Grande.

Na postagem, a médica afirma que perguntaria o voto de cada paciente e só então decidiria se ele ‘merece’ alta caso não fossem contrários a opinião política dela.

“Hoje é dia de maldade. Perguntar pro paciente em quem vai votar antes da alta. Dependendo da resposta, alta só segunda!!”, escreveu a profissional.

Rapidamente a imagem tomou conta de grupos, onde moradores questionavam a conduta profissional da médica e pedindo para que o caso fosse investigado pelo CRM (Conselho Regional de Medicina). “Com certeza não é desse tipo de atitude médica que o brasileiro precisa”, afirmou uma internauta.

Em nota ao Jornal Midiamax, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) afirmou que, apesar de não haver restrição pelo livre pensamento, não concorda e corrobora com opiniões, seja de conotação política ou não, que contrariem os códigos éticos profissionais.

Por fim, relatou que poderá haver uma investigação para apurar a condutada da profissional e caso poderá chegar até o CRM.

“A formalização de eventual denúncia seja coletiva ou individual em razão da manifestação da profissional também deve ser feita ao Conselho Regional de Medicina que pode proceder na abertura de sindicâncias e processos disciplinares”.

Conforme o Diário Oficial de Campo Grande, a profissional estava relacionada no cadastro de médicos temporários e foi convocada para se apresentar no último dia 19 de setembro.

A reportagem foi até a UPA Moreninhas para falar com a médica, mas a enfermeira chefe do plantão disse que não estava autorizada a passar informações.

Jornal Midiamax