O deputado federal Ubiratan Sanderson (PL-RS) protocolou ofício pedindo que a Procuradoria-Geral da República investigue as ‘circunstâncias’ da viagem do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em avião de empresário para o Egito, onde participa da COP27, conferência sobre mudanças climáticas.

O presidente eleito foi ao evento no avião do empresário José Seripieri Junior, que chegou a ser preso em operação da Polícia Federal, em junho de 2020, em investigação sobre pagamentos ilícitos à campanha do senador José Serra (PSDB). Ele foi solto quatro dias depois. Ele colaborou com a Justiça e fechou uma delação premiada, quando se comprometeu a pagar multa de R$ 200 milhões.

“Sirvo-me do presente para solicitar a Vossa Excelência a instauração de investigação criminal com o objetivo de apurar o motivo e em que circunstâncias houve o empréstimo de aeronave particular do Sr. JOSÉ SERIPIRI JÚNIOR ao Sr. LUÍS INÁCIO LULA DA SILVA, para realizar viagem ao Egito”, diz o deputado no ofício.

Conforme o documento, o aluguel de uma aeronave desse porte – capaz de transportar até 12 pessoas – sai em torno de 10 mil dólares a hora.

Viagem em jatinho de empresário amigo

A viagem do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), para participar da COP27, no Egito, evidenciou sua relação próxima com um dos principais empresários da área da saúde do país.

Na tarde da segunda-feira (14), o vice-presidente eleito e coordenador da transição de governo, Geraldo Alckmin, afirmou que a viagem de Lula no avião do empresário não foi um empréstimo, mas uma ‘carona’.

“A informação que eu tenho é que o proprietário está indo junto. Não tem empréstimo”, respondeu.

O vice ainda acrescentou que governadores e outros políticos também viajam no mesmo avião, que partiu de São Paulo na manhã desta segunda-feira.

Junior é amigo de Lula há pelo menos uma década. Após deixar a Presidência, em 2010, o petista costumava frequentar uma mansão de veraneio do empresário em Angra dos Reis, no litoral sul do Rio. O então ex-presidente chegou a passar um reveillon no local. Na mesma época, o empresário também costumava ceder um helicóptero e um jatinho para transporte do ex-presidente pelo país.

O ex-dono da Qualicorp foi um dos convidados do casamento de Lula com a socióloga Rosângela Silva, a Janja, em maio. O evento, em meio à campanha eleitoral, reuniu cerca de 200 pessoas em São Paulo.

Durante a campanha, o empresário declarou ter feito ao menos duas contribuições para ajudar a eleger o amigo. Na reta final do primeiro turno, foram R$ 660 mil doados ao PT, segundo prestação de contas enviadas ao Tribunal Superior Eleitoral. No segundo turno, depositou mais R$ 500 mil na conta do candidato – o segundo maior valor recebido pelo petista.