Trapalhada cármica em Campo Grande mostrou o quão desastrosa (de verdade) pode ser uma abordagem

Descontrolado e inebriado pelo poder transitório expôs colega por desagradar poderosos, mas dias depois acabou exposto
| 10/03/2022
- 12:21
Em documento oficial
Em documento oficial, ex-chefe chamou de 'abordagem desastrosa' a atuação de colega... dias depois, mostrou o que é, de verdade, uma abordagem desastrosa - (Ilustração sobre reprodução, Web)

'Abordagem desastrosa' foi o termo usado pelo então chefe para expor colega em manifestação oficial que surpreendeu até os destinatários. Além de expor tecnicamente a instituição que chefiava, deixou explícito a quem queria agradar, já que recriminou um agente público por fazer exatamente o que é pago para fazer: combater a criminalidade.

No entanto, em verdadeira reviravolta cármica, dias depois, o próprio chefe da onça se envolveu em episódio que, este sim, mostrou ao Brasil inteiro o conceito de abordagem desastrosa.

Viralizou como exemplo no país todo de como policiais não devem agir e motivou debates sobre como o discurso de 'que chore a família do outro' é nocivo e pode virar uma armadilha para agentes de segurança pública e para a sociedade em geral.

Além disso, o documento oficial em que recrimina atuação do colega por abordar membro de família poderosa na região de fronteira, reforçando as suspeitas de ligações insidiosas entre segurança pública e crime organizado em Mato Grosso do Sul, acabou agora ganhando conotação de exemplo para quem acha que o poder é eterno e abusa da impunidade tácita.

Na classe exposta, ganha força grupo dos que acham necessário investigar a fundo a conduta do ex-reizinho mandão e expor conduta altamente comprometedora como forma de lição. O uso de procedimentos para intimidar colegas, favorecer grupos criminais e abafar trapalhadas continua irritando quem trabalha de verdade.

Por isso, acham que, caso tudo seja escavado, deve faltar memória nos computadores da corregedoria.

Sabendo de algo que MS precisa saber? Conta pro Midiamax!

Se você está por dentro de alguma informação que acha importante o público saber, fale com jornalistas do !

Fala Povo: O leitor pode falar direto no WhatsApp do Jornal Midiamax pelo número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Se preferir, você também pode falar com o Jornal direto no Messenger do Facebook.

Você pode enviar flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões com total sigilo garantido pela lei.

Veja também

Em pleno ano eleitoral, erro grave revoltou até servidores de elite que se sentiram expostos à morte como jagunços

Últimas notícias