O ministro dos Transportes, Renan Filho, deve decidir até o final de setembro sobre a concessão das rodovias e 267 a Mato Grosso do Sul, informou o governador (PSDB) em agenda nesta segunda-feira (11) em .

Também fazem parte do projeto de concessão a MS-040, 338 e 395, na chamada Rota da Celulose, por onde passa grande parte da produção no Estado, afetando consideravelmente a qualidade das rodovias por causa do peso do escoamento da produção.

De acordo com Riedel, o ministro Renan Filho deve bater o martelo até o fim do mês sobre a concessão das rodovias federais para, então, o governo decidir sobre a concessão das estradas.

“Só teremos como equacionar a concessão quando o ministro decidir e nos explicar qual o plano do governo federal para essas estradas. Passada essa questão da delegação, aí poderemos discutir essas concessões”, informou.

Todas as rodovias estão localizadas entre Campo Grande e Três Lagoas, passando por Ribas do Rio Pardo, e Santa Rita do Pardo, onde as empresas do ramo estão instaladas.

Estudo

Em agosto, o governo do Estado abriu chamamento para estudos para concessão das rodovias estaduais MS-040, MS-338 e MS-395 e trechos das rodovias federais BR-262 e BR-267 no EPE (Escritório de Parcerias Estratégicas). Foram publicados o GT (Grupo Técnico) e o aviso do PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse), no Diário Oficial do Estado.

Nos estudos de pré-viabilidade, o escritório de parcerias, responsável pela estruturação dos projetos de concessões do Estado de Mato Grosso do Sul, manteve o modelo de delegação de trechos das rodovias federais para compor o lote das rodovias estaduais. Serão mais de 900 km de rodovias a serem concedidas, ampliando investimentos de para a melhoria da malha rodoviária do Estado.

O grupo técnico atuará nos estudos técnicos para a estruturação do projeto destinado à adequação de capacidade, reabilitação, operação, manutenção e conservação das rodovias estaduais MS-040, MS-338 e MS-395 e trechos das rodovias federais BR-262 e BR-267.

Aviso público do PMI também foi publicado em diário oficial, na mesma edição, e tem como objetivo dar transparência às pessoas físicas ou jurídicas interessadas em subsidiar a administração pública com informações e estudos que podem ser utilizados na elaboração dos estudos técnicos da estruturação do projeto das rodovias.