Vereadores de Campo Grande dizem que o vereador Professor André Luis (Rede) deveria se retratar após chamar policiais militares de ‘gordos depressivos’. A Câmara de Campo Grande chegou a emitir uma nota repudiando a fala do parlamentar.

Na ocasião, André Luis usava a tribuna para falar sobre segurança pública, quando disparou: “Não basta ficar passeando numa caminhonete 4×4 com quatro policiais dentro do carro, e lá no centro da avenida não tem ninguém. Não adianta o Estado fazer concurso para 700 policiais, porque não tem 700 salas com ar-condicionado em Campo Grande. Policial tem que estar na rua, o policiamento é ostensivo. Não basta ter policiamento, é preciso que a gente tenha sensação de segurança, e a sensação de segurança é policial da rua”.

Em seguida, disse ainda, que “não é um grupo de 10 na esquina mexendo no WhatsApp, é um policial para cada oito quarteirões, isso que vai trazer sensação de segurança. Então, não basta concurso público, falar que gastamos milhões, em armamento, viatura, se a gente não vê policiais. Graças a Deus, Campo Grande é protegida por Deus”, continuou.

“Não adianta concurso público para colocar policial de mesa em administrativo, tá tudo gordo, barrigudo, com depressão porque não tem o que fazer. Bota na rua, fica todo mundo ‘magrelinho’, todo mundo perde a depressão e começa a ter uma produção para cidade”, completou ele.

O vereador Betinho (Republicanos), chegou a publicar um pronunciamento nas redes sociais e diz que repudia o posicionamento do Professor André.

“Quero fazer um esclarecimento e dizer que não penso da mesma forma. Os policiais são pessoas que estão fazendo um grande trabalho em prol a segurança pública. Muitas vezes eles não conseguem fazer um trabalho melhor devido às condições que a eles são concedidas. Eu repudio a fala do professor André Luís”, disse.

Coronel Alírio Villassanti (União Brasil) também usou as redes para comentar o posicionamento do vereador do Rede e destacou que foi uma fala revoltante, preconceituosa, infeliz e desrespeitosa.

“O ingresso de um policial militar se faz perante um concurso e provas duríssimas. É a instituição pública mais fiscalizada do país. O policiamento ostensivo e preventivo não é feito de forma aleatória”, disparou.

Papy, do Solidariedade, comentou que o posicionamento do professor André causou surpresa para os outros parlamentares e acredita que ele deve se retratar na próxima sessão.

“Ele é muito coerente, foi muita surpresa. Tenho certeza que ele não pensa assim. A polícia faz um grande esforço para manter a segurança de todos. Eu sei que ele não pensa dessa forma e acho que as pessoas também não deveriam levar para o lado pessoal. Foi uma fala infeliz e sem pensar, mas eu discordo completamente do posicionamento dele. Acho que em breve ele deve se retratar”.

Ronilço Guerreiro, do Podemos, também diz discordar da opinião do professor André. Psicólogo, o vereador acredita que André Luís atingiu o emocional de muitas pessoas.

“Ele teve uma fala infeliz. Sou psicólogo e já vi muitas pessoas chorando por problemas causados pela saúde mental. Acredito que algumas pessoas ficaram chateadas e a fala mexe no emocional”, disse.

Edu Miranda (Patriota) também acredita que o vereador do Rede deve se retratar em breve. “Acho que ele estava revoltado com alguma situação e acabou se exaltando. Os policiais são pessoas que cuidam da sociedade. Campo Grande tem quase um milhão de pessoas, não tem como cuidar de todos ao mesmo tempo. Acho que ele deveria respeitar a instituição. O assunto precisa ser retratado”, disse.

O professor Juari, do PSDB, parabenizou a polícia de Mato Grosso do Sul, adiantando que é um exemplo para o Brasil e explica que vai conversar com o professor André para que ele se retrate.

“Ele é uma pessoa decente e equilibrada. Nós estranhamos a fala. Vou ter uma conversa para que ele tente se retratar. As polícias de Mato Grosso do Sul são exemplos para todo o Brasil”.

Zé da Farmácia, do Podemos, também diz que não concorda com a fala do vereador do Rede de forma pejorativa. “Ele criticar o trabalho da polícia, como vereador e como cidadão ele tem o direito de fazer. O que pesou e que até me deixou chateado foi a maneira pejorativa que ele tratou a Polícia Militar”.

Vereadores como Clodoilson Pires (Podemos) e Dr. Jamal Salém (MDB) dizem que iriam ouvir o pronunciamento do parlamentar do Rede para conseguirem expor opiniões, mesmo após a Câmara da Capital emitir uma nota descordando da fala do parlamentar.

PM repudia fala de vereador

Logo após o pronunciamento do vereador, a polícia militar de Mato Grosso do Sul publicou nota de repúdio nas redes oficiais da instituição, se posicionando sobre a repercussão que o vídeo está tomando nas redes sociais.

A nota declara que o comentário do vereador foi feito com base em achismo “estapafúrdio desprovido de qualquer embasamento técnico para opinar sobre o tema. Tal posicionamento é típico de quem desconhece os problemas relacionados à Segurança Pública e profere suas opiniões no conforto de um gabinete agradavelmente refrigerado, o que também o impede de visualizar o policiamento ostensivo desenvolvido pelos bravos Policiais Militares de nossa Corporação, não só em Campo Grande, mas em todo o nosso Estado”.

“Ademais, causa estranheza que um ente político que tem a incumbência de legislar e propor soluções legais para os problemas relacionados à Segurança Pública procure atacar aqueles que efetivamente solucionam os problemas dessa natureza diuturnamente, a despeito da existência de leis que por vezes beneficiam o infrator em detrimento do prejuízo de toda a sociedade”, disse parte da nota.

Por fim, a companhia considerou lamentável que o político “trate temas graves como a obesidade e depressão (que acometem a toda sociedade) de forma jocosa e irresponsável”.

“O Comando da PMMS, a fim de auxiliar o nobre vereador, Professor André Luís, para que numa próxima possibilidade de externar suas opiniões sobre o tema Segurança Pública o faça com conhecimento e propriedade, convida-o para conhecer o trabalho desenvolvido pela Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, bem como, para conhecer a atenção que é dispensada aos policiais militares que necessitam de tratamento médico para que uma vez recuperados possam desempenhar sua valorosa missão constitucional”, completou a nota.