Deputados federais de MS são favoráveis à criação da CPI da Petrobras

São necessárias 171 assinaturas de deputados federais para criação da Comissão
| 21/06/2022
- 17:54
deputados
(Foto: Agência Câmara)

A bancada de deputados federais por Mato Grosso do Sul é favorável à criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Petrobras. Se instaurada, a Comissão deverá investigar possíveis irregularidades na estatal e quadro de diretores da empresa.

A deputada (União Brasil) destaca que é preciso focar na discussão de medidas legislativas que ajudem na contenção do aumento da gasolina, conta de luz e no gás de cozinha. “Isso é o mais urgente para a população”, afirmou.

Contudo, disse que “se tiver que ter CPI, terá e com meu apoio sim. Mas que seja depois de sanar os problemas urgentes da população”. Dagoberto Nogueira (PSDB) acredita na criação da Comissão. “Sim sou favorável, tem que abrir essa caixa preta que é a Petrobras”, afirmou ao Jornal Midiamax.

Para o deputado Vander Loubet (PT), a CPI é uma ferramenta fiscalizadora importante no regime democrático. No entanto, o deputado apontou estranheza com o requerimento da CPI. “É que o governo e sua base aliada querem uma CPI sobre um tema que é de responsabilidade deles, pois é público que os presidentes da Petrobras são indicados pelo governo”.

O deputado também lembrou que os conselheiros, que “votam e definem os reajustes”, também são ‘indicados pelo governo’. Assim, considera que o requerimento para criação da CPI “trata-se de uma manobra eleitoreira, uma cortina de fumaça para tentarem tirar o corpo fora”.

Por fim, afirmou que “Bolsonaro e sua base de apoio passaram quase quatro anos sem tomar a atitude que deveriam, sem ter coragem de tomar para ajudar a resolver o problema da escalada absurda de preços dos combustíveis e do gás de cozinha”.

O Jornal Midiamax entrou em contato com todos os deputados federais, através da assessoria dos parlamentares. O espaço segue aberto para posicionamento.

Assinatura dos deputados federais

Ao Jornal Midiamax, o deputado Loester Trutis (PL) afirmou que é favorável e já assinou o requerimento. “Existe um conluio de interesses em manter o preço do combustível de uma forma incompatível com a renda do brasileiro”, defendeu.

Para o deputado Luiz Ovando (PP), o que inquieta é "o descaso social da empresa após muitos apelos do presidente e o inquestionável esforço da nação em vencer as adversidades econômicas herdadas da pandemia".

Líder do Governo da Câmara, o deputado (PP-PR), disse que já possui 65 assinaturas de deputados federais, sendo que são necessárias 171 para a solicitação de uma CPI. Nesta terça-feira (21), Barros afirmou ao UOL estar confiante na instauração da Comissão para investigação dos deputados.

No entanto, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) disse que não é favorável à criação da CPI da Petrobras. “Acho que há outras medidas legislativas e do Poder Executivo muito mais úteis para resolver o problema”, disse para a Agência Senado.

*Matéria alterada às 16h de 22 de junho, para acréscimo de posicionamento do deputado Luiz Ovando.

Veja também

Os prazos constam no calendário eleitoral, divulgado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral)

Últimas notícias