Política

‘Amanhã vocês vão saber’, diz Reinaldo ao confirmar mudanças no secretariado

(Com Maisse Cunha) O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) confirmou nesta quinta-feira (27) que anunciará em coletiva na sexta (28) o novo secretariado do governo do Estado. No entanto, não confirmou e nem adiantou nenhum nome questionado. “Amanhã vocês vão saber”, limitou-se a comentar. “Não serão grandes mudanças, serão pontuais. Até porque essa equipe de governo […]

Evelin Cáceres Publicado em 27/12/2018, às 11h01 - Atualizado em 18/07/2020, às 00h40

Foto: Marcos Ermínio
Foto: Marcos Ermínio - Foto: Marcos Ermínio

(Com Maisse Cunha)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) confirmou nesta quinta-feira (27) que anunciará em coletiva na sexta (28) o novo secretariado do governo do Estado. No entanto, não confirmou e nem adiantou nenhum nome questionado. “Amanhã vocês vão saber”, limitou-se a comentar.

“Não serão grandes mudanças, serão pontuais. Até porque essa equipe de governo foi aprovada nas urnas. Eu não trabalhei sozinho. Serão mudanças pontuais na equipe, de pessoas novas e também por quem já está no quadro”, finalizou.

No início do mês, todos os secretários de Reinaldo entregaram uma carta de demissão, dando liberdade ao governador para que as mudanças fossem feitas, após inúmeras especulações sobre as possíveis trocas.

Dos nomes apontados para integrar a equipe, Geraldo Resende acompanhou o governador nesta manhã na agenda e ambos foram embora no mesmo veículo, indicando uma mudança apontada por muitos como certa.: na SES (Secretaria de Estado de Saúde).

Reinaldo ainda não ‘bateu o martelo’, mas já admitiu que o novo titular será definido com ‘sintonia’ com o atual mandatário, o advogado Carlos Alberto Coimbra, futuro ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) e com o provável novo comandante, deputado federal Geraldo Resende (PSDB). Desta forma, Coimbra ficaria com o comando do HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul).

Geraldo assumiria a vaga de Tereza Cristina (DEM), anunciada ao Ministério da Agricultura. Caso assuma como secretário, a suplente, Bia Cavassa, deve ficar com a vaga. Ela é viúva de Ruiter Cunha, ex-prefeito de Corumbá. No Parque dos Poderes e até seu coordenador de campanha na Capital, Carlos Alberto de Assis, da SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização) prefere não contar vantagem até o anúncio. “Se sair, saio de cabeça erguida”, disse ele em agenda na semana passada.

O que é certo até o momento é a saída do secretário de Cultura e Cidadania, Athayde Nery. A pasta foi suprimida na reforma administrativa, aprovada nas sessões finais do parlamento estadual, e, a partir de 2019, será resumida a uma Fundação incorporada a Segov (Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica), sob o comando de Eduardo Riedel.

Outros nomes

Vice-governador, Murilo Zautih (DEM) também deve ter uma secretaria nas mãos. Reinaldo estuda dar ao democrata o comando da secretaria de Infraestrutura, nas mãos do engenheiro Helianey Paulo da Silva desde a saída de Marcelo Miglioli, que disputou uma vaga no Senado Federal em outubro.

De fora da próxima legislatura da Assembleia Legislativa, a deputada Mara Caseiro (PSDB) não deve sair de ‘mãos abanando’. Ela revelou que está articulando com Reinaldo espaço no Executivo Estadual. Ela disse anteriormente que Azambuja, assim como ela, que obteve mais votos que 11 deputados eleitos, manifestou insatisfação com uma Casa de Leis totalmente masculina em 2019.

Outro que pode fazer parte da nova equipe é o senador Pedro Chaves. Ele disse que Reinaldo criaria Agência Sustentável de Desenvolvimento Econômico sob os cuidados dele na próxima gestão, mas ela ficou de fora do pacote de projetos do Executivo enviado à Assembleia nas últimas sessões do ano.

Ele protagonizou desentendimento com o presidente do PRB, Wilton Acosta, por ter trocado apoio a Odilon por Reinaldo às vésperas da eleição. Acosta anunciou a expulsão do congressista pelo episódio.

Jornal Midiamax