“A corrupção não é um ato, mas uma condição”, disse Dodge

A nova procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, tomou posse nesta segunda-feira (18) ao lado do presidente Michel Temer (PMDB), que a nomeou para o cargo após ter sido a segunda colocada na lista tríplice dos indicados pelos procuradores da República.

Em seu discurso de posse, Dodge citou o papa Francisco e disse que “a corrupção não é um ato, mas uma condição, um estado pessoal e social, no qual a pessoa se habitua a viver”. Ela é a primeira mulher a liderar o MPF (Ministério Público Federal) desde a criação do órgão.

A procuradora ainda disse que o brasileiro “interessa-se pelo destino da nação, acompanha as investigações e julgamentos, não tolera a corrupção e não só espera, mas também cobra resultados”.

Além de Temer, a cerimônia foi acompanhada pelos presidentes do Senado, Eunício Oliveira (PMDB) e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM). Ambos são alvos de inquéritos no STF (Supremo Tribunal Federal) abertos a partir das delações da Odebrecht.Nova PGR toma posse ao lado de Temer e cita papa Francisco em discurso

Já Temer enfrenta sua segunda denúncia, por organização criminosa e obstrução da Justiça,  elaborada pelo antecessor de Dodge, Rodrigo Janot. Janot não compareceu à cerimônia da posse de Dodge, pois afirmou não ter sido convidado.

A primeira denúncia, que apontava corrupção passiva do presidente, foi enterrada na Câmara dos Deputados. Nesta quarta-feira (20), o STF vai decidir se encaminha a segunda denúncia à Câmara ou se arquiva o pedido de investigação.