Com 3 servidores efetivos, Câmara de MS deve fazer concurso em 6 meses

Determinação partiu de TAC assinado com MPE-MS
| 30/04/2017
- 16:34
(Arquivo)
(Arquivo) - (Arquivo)

Determinação partiu de TAC assinado com MPE-MS

A Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo terá até seis meses para realizar um concurso público para efetivação de servidores em cargos de nível técnico e superior, conforme determinado por um termo de ajustamento de conduta assinado entre o órgão legislativo e o MPE-MS (Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul).

De acordo com o Ministério Público, apenas 3 dos 33 servidores da Câmara de Ribas do Rio Pardo são funcionários efetivos. Os outros 30 funcionários são todos comissionados – alguns deles ocupando cargos de origem técnica, como artífice de serviços gerais, agentes de segurança e secretários legislativo.

O Ministério explica no termo que esse tipo de cargo de origem técnica não poderia ser ocupado por servidores comissionados, uma vez que os mesmos só podem ser designados a funções de chefia, direção e assessoramento.

Para regularizar sua situação, a Câmara do município terá de extinguir 13 dos cargos comissionados, e criar os cargos efetivos quando de origem técnica. Deverão exonerados servidores em comissão dos cargos de artífice de serviços gerais, assessor contábil, assessor jurídico, assessor de imprensa e secretário de gabinete.

Todas essas medidas, assim como a execução de concurso público, deverão ser tomadas em seis meses. Caso a Câmara de Ribas do Rio Pardo nomeie mais comissionados ou faça contratações irregulares durante o prazo, deverá pagar multa de cerca de R$ 6,1 mil por irregularidade, equivalentes a 250 UFERMS.

O MPE-MS irá fiscalizar todas as etapas do concurso público da Casa de Leis, segundo o termo. O acordo foi assinado por todos os vereadores e pelo presidente da Câmara de Ribas do Rio Pardo, Sebastião Roberto Collis.

(com supervisão de Ludyney Moura)

Veja também

Empresa vencedora terá 30 anos de concessão dos serviços públicos

Últimas notícias