Silveira teria articulado defesa de Sérgio Machado e Renan Calheiros

Após o vazamento dos áudios de suas conversas com o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, o ministro da Tranparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira, afirmou em nota que não teria cometido irregularidades.

Nos áudios, divulgados pelo programa Fantástico, da Rede Globo, Silveira orienta Machado e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) a como se comportarem frente às investigações da Lava Jato.

A nota, divulgada pela sua assessoria de imprensa, afirma que Silveira “esteve involuntariamente em uma conversa informal e jamais fez gestões ou intercedeu junto a instituições públicas em favor de terceiro”. De acordo com a Agência Estado, Silveira havia sido indicado para o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) pelo próprio Renan em 2015.

A conversa envolvendo o atual ministro ocorreu antes da indicação para a pasta da Transparência, criada em substituição à CGU (Corregedoria Geral da União). No áudio, Renan diz a Silveira que está preocupado, e o então futuro ministro afirma que a estratégia de defesa deveria ser não entregar uma versão dos fatos, para não dar tempo à PGR (Procuradoria Geral da União) de elaborar uma resposta rebatendo a Defesa.

Silveira também afirma, na conversa, que o procurador-geral Rodrigo Janot e os outros membros da PGR estão “perdidos”, e critica a condução das investigações da Lava Jato. Em outra conversa, Renan afirma que não conseguiram encontrar nada que o comprometesse e que teria sido chamado de “gênio” por Janot.