Um jovem de 23 anos está internado em estado grave na de Grande após ser atingido por um Chevrolet Spin no cruzamento da Avenida Nasri Siufi com Rua Panambi Vera, no bairro Tijuca. Imagens de segurança flagraram a colisão após motorista avançar sinal vermelho. Nesta sexta-feira (3), a família comentou revolta com imprudência.

Conforme o boletim de ocorrência e perícia do BPTran (Batalhão da de Trânsito), por volta das 20h da última terça-feira (31), a condutora de 52 anos estava na avenida, sentido norte e sul, quando avança o semáforo e atinge o motociclista que descia a Rua Panambi Vera.

As imagens mostram que a colisão acontece em minutos, o sinal está amarelo e em seguida fica vermelho. A condutora não para e chega a buzinar, mas não consegue evitar a colisão. O rapaz foi socorrido e levado para a Santa Casa.

A prima do motociclista, Juliana Souza, diz que ele sofreu várias lesões, com gravidades no joelho e pé e rompeu uma artéria do rim, com risco de perder o órgão. “Já passou por uma cirurgia na quarta-feira (1º), angioplastia das artérias renal, porém, não obtiveram sucesso. Ele passará por outra cirurgia hoje com possibilidade de 20% de chances de manter o rim”, relata.

Ainda conforme a família, não houve amparo da motorista após o acidente. O último contato seria sobre danos materiais, que ela teria pedido o pagamento da franquia do carro, no valor de R$ 4,2 mil.

“Na noite do acidente, não foi ela que socorreu meu primo. No vídeo mostra que umas pessoas descem de um carro branco e chamam o socorro. Ele deu uma acordada e deu o número da minha tia. Ele bateu a cabeça, meu tio chegou, moram perto daqui e viram nas imagens que ela furou o sinal. Ela contou a versão dela, mas nem bafômetro fez. Ela buzina e não freia, não era nem horário adequado para furar, era 20h”.

O rapaz teria comprado a moto recentemente, e estaria pagando a terceira parcela do financiamento. “No dia do acidente ela disse para meu tio que queria fazer um acordo, mas que ele teria que pagar o valor da franquia para tentar pôr a moto para o seguro assegurar. Essa é a primeira moto dele, tem 38 parcelas e deu perda total”, relata.

Por conta dos danos, a família abriu uma vaquinha para ajudar a pagar a moto que usava para trabalhar. Clique aqui para conferir.

Confira o vídeo:

Saiba Mais