Três pessoas foram presas nesta quinta-feira (9) durante a “Lex Ultiones” que investiga o assassinato de Marcelo Antonelo da Silva, de 25 anos, morto a tiros no último dia 26 em , a 463 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com a Polícia Civil, a suspeita é de que Marcelo estivesse devendo dinheiro a traficantes. Ao menos seis pessoas estariam envolvidas no crime.

Conforme as investigações, dois homens em uma moto, do Paraguai, foram à residência da vítima. Quando Marcelo chegou ao portão foi morto a queima-roupa. Os tiros atingiram o rosto e o pescoço dele, que foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Três dias depois do crime, policiais da cidade prenderam um homem, de 40 anos. Ele foi detido em flagrante com uma arma calibre 9 milímetros, que corresponde a que foi utilizada no crime.

A Polícia identificou seis pessoas envolvidas na morte de Marcelo. O crime, segundo as investigações, está relacionado a dívidas com o tráfico de drogas.

Nesta quinta-feira, policiais de Mundo Novo e da (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira) de cumpriram quatro mandados de busca e apreensão e um de prisão.

Outras três pessoas foram presas em flagrante por tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e associação criminosa armada. Foram apreendidas drogas, armas de fogo e munições, além da utilizada no crime.

Lex Ultiones

A operação ganhou o nome de “Lex Ultiones”, que significa lei da vingança, em latim e faz alusão à motivação do crime.