Um candidato que concorre ao cargo de conselheiro tutelar em e que atua como técnico de é acusado de agredir uma de 9 anos durante um atendimento em uma UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) da cidade, no dia 30 de agosto deste ano. As eleições para o Conselho Tutelar acontecem no dia 1º de outubro.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado pela mãe da criança, ela levou o filho até a unidade de saúde para a retirada de pontos na cabeça dias depois de uma cirurgia. O técnico de enfermagem – que também é candidato a conselheiro tutelar – foi quem atendeu o menino. A mãe relata que ele disse que o procedimento iria “doer muito”.

O profissional ainda falou que iria sair sangue e que precisaria de cinco pessoas para segurar a criança. Em seguida, o técnico saiu da sala e voltou falando ao celular e a criança estava chorando. A mãe conta que neste momento o profissional deu um tapa no ombro da criança.

O técnico saiu e voltou para a sala, e dessa vez deu um tapa na cabeça da criança dizendo: “Fica quieto, estou no telefone”. Assim, a mãe já não permitiu mais que o técnico de enfermagem atendesse o filho.

Candidato a conselheiro desconhece denúncia

A reportagem falou com o técnico de enfermagem, ele disse que desconhece a denúncia e relacionou a situação a um possível ato intencional para prejudicar sua campanha ao cargo de conselheiro tutelar.

“Qualquer um pode fazer um boletim de ocorrência para me prejudicar”, falou.

O Jornal Midiamax entrou em contato com o (Conselho Regional de Enfermagem), que em nota disse que “todas as denúncias vão para a Câmara de Ética para análise, caso seja admitido, é aberto um processo ético disciplinar para apuração dos fatos”.

De acordo com a Polícia Civil, como o caso envolve criança, está em segredo de Justiça e nenhum comentário a respeito de outros registros prévios contra o candidato podem ser feitos. O caso foi registrado como vias de fato.

Eleições acontecem em outubro

As eleições para a escolha de novos representantes do Conselho Tutelar de Campo Grande acontecem em 1º de outubro. São 56 locais de votação distribuídos conforme a zona eleitoral para eleger 40 conselheiros titulares e 80 para suplentes.

Para fazer a escolha nas urnas, é necessário estar com o título de eleitor e um documento oficial com foto. A votação acontece das 8h às 17h. Os novos servidores selecionados irão atuar na proteção de crianças e adolescentes pelo quadriênio de 2024 a 2027.

A atuação do Conselho Tutelar, sobretudo em casos de violência contra crianças, tem sido questionada com mais ênfase nos últimos meses. Dois casos ganharam destaque no começo de 2023 e expuseram o papel do conselheiro tutelar diante de casos de violência.

Do outro lado, o Conselho Tutelar expõe a sobrecarga do sistema e a necessidade de aumentar o número de conselheiros para dar conta da demanda atual.