Uma infestação de percevejos, no presídio feminino semiaberto, em Campo Grande, foi denunciada por parentes de detentas nesta segunda-feira (23). A infestação teria causado feridas pelo corpo de algumas detentas e de um bebê, que está com a mãe. 

Parentes das detentas entraram em contato com o Jornal Midiamax para relatar o fato das detentas estarem com feridas pelo corpo devido aos percevejos. Em nota, a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), disse que já foi feita a dedetização e selagem das frestas de madeira das camas, e que as internas picadas foram encaminhadas para atendimento médico.

Confira a nota na íntegra:

“A Agepen informa que foi detectada uma infestação de percevejo no Estabelecimento Penal Feminino de Regimes Semiaberto e Aberto de Campo Grande e  já foram adotadas as seguintes providências para o combate da praga: dedetização geral com inseticida apropriado; orientação sobre a retirada de excesso de pertences das internas para evitar proliferação; utilização de fonte de calor, conforme orientação técnica, para exterminar os insetos adultos; selagem das frestas das madeiras das camas com espuma expansiva e PU; foi adquirido aspirador de ar para realizar a sucção dos insetos em tecidos;  substituição de colchões nos casos necessários; também estão sendo adquiridas capas de colchão com zíper para internas mais vulneráveis e autorizado a família a levar este material. Além disso, foi estabelecido um cronograma de dedetização a cada 12 ou 15 dias em cada cela para impedir o ciclo dos ovos dos percevejos. Está sendo analisada, ainda, a possibilidade de substituição de camas de madeira por estruturas em alvenaria. Importante destacar que as internas que foram picadas foram encaminhadas para atendimento de saúde e todas as providências possíveis estão sendo tomadas.”