Pistoleiros que mataram promotor paraguaio em lua de mel são condenados a 23,6 anos de prisão

| 18/06/2022
- 07:11
Pistoleiros que mataram promotor paraguaio em lua de mel são condenados a 23,6 anos de prisão
Julgamento aconteceu neta sexta-feira na Colômbia (Foto: Divulgação)

Dos cinco pistoleiros acusados pelo assassinato do promotor paraguaio Marcelo Pecci, que estava em lua de mel na Colômbia, quatro foram condenados. Wendre Still Scott Carrillo, Eiverson Adrián Zabaleta Arrieta, Gabriel Carlos Luis Salinas Mendoza e Cristian Camilo Monsalve Londoño estão presos na Colômbia.

O quinto envolvido, Francisco Luis Correa Galeano, segundo informações da colombiana, se declarou inocente das acusações contra ele e o processo criminal continua em aberto. A poderia chegar a 47, mas como aceitaram as condenações foi reduzida para 23,6.

Nesta sexta-feira (17), jornais colombianos divulgaram novas imagens que confirmam que Marcelo Pecci e a esposa estavam sendo acompanhados e monitorados por dois dos envolvidos. Eles foram vistos inclusive no restaurante do hotel em que estavam hospedados.

Apesar da polícia colombiana ter conseguido prender os cinco envolvidos e quatro deles já estarem condenados em um prazo de 37 dias, até o momento nenhum suposto ou supostos mandantes foram presos.

Há informações de que o promotor tenha sido vítima de um suposto consórcio envolvendo grupos criminosos do Brasil, como o PCC (Primeiro Comando da capital) e também da Colômbia, conforme depoimento de um dos envolvidos.

Veja também

Com os três adolescentes foram recuperados os dois veículos subtraídos, vários objetos pessoais da vítima

Últimas notícias