Em nota, Associação dos Praças da PM repudia pedido de prisão contra policiais

| 23/06/2022
- 23:26
Em nota, Associação dos Praças da PM repudia pedido de prisão contra policiais
O caso veio à tona, após um casal suspeito de atuar no tráfico de drogas, acusar os policiais de abuso e agressão (Foto: Henrique Arakaki / Arquivo Midiamax))

A ASPRA-MS (Associação dos Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul) emitiu uma nota de repúdio a respeito de pedido de contra policiais militares do Choque, feito pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul).

O repúdio é em relação ao pedido de prisão contra policiais militares, caso realizem policiamento no Jardim Aeroporto e na , bairros da região oeste de Campo Grande.

O caso veio à tona, após um casal suspeito de atuar no tráfico de drogas, acusar os policiais de abuso e agressão. O caso começou quando os policiais do Choque realizaram abordagem ao casal. Eles acabaram na casa da família, que acusou os policiais de abuso e agressão. Segundo o relato do casal, havia crianças na casa e os policiais do Choque foram violentos.

Leia a nota:

A Associação dos Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (ASPRA-MS) vem a público REPUDIAR veementemente o pedido de prisão a policiais militares lotados no Batalhão de Choque, pedido este que foi feito pelo Ministério Público Estadual de MS. Apesar do pedido de prisão ter sido negado pela Auditoria Militar, resultou em uma espécie de “Medida Protetiva” para traficantes da região da Vila Popular e Jardim Aeroporto.

Veja também

Além do armamento, policiais encontraram maconha na casa do preso

Últimas notícias