ÁUDIO de ligação revela desespero de vítima de tentativa de estupro por motorista de aplicativo: 'Sai do carro'

Ela falava com o namorado ao telefone no momento do crime
| 07/06/2022
- 17:34
ÁUDIO de ligação revela desespero de vítima de tentativa de estupro por motorista de aplicativo: 'Sai do carro'
(Reprodução, Vídeo)

Tentativa de abuso sexual sofrido por uma mulher de 28 anos na madrugada desta terça-feira (7) foi gravada em ligação feita pela vítima ao namorado. Os dois conversavam quando desconfiaram do cancelamento da corrida feita pelo motorista, de 38 anos, que acabou preso em flagrante momentos depois.

Na ligação, o namorado diz: “Estranho cancelar né, estava acompanhando a viagem, daí suspendeu” — dando a entender que acompanhava o trajeto feito pelo motorista com a vítima. Foi então que a mulher questionou o motorista, que disse que reportaria o fato ao aplicativo para que trabalha, para receber o valor.

Mesmo assim o namorado pediu para a vítima compartilhar com ele a localização em tempo real, pelo celular. No caminho, o motorista teria entrado em um caminho diferente, levantando a suspeita novamente da vítima e do namorado, que a todo tempo estava na ligação com ela.

A mulher pediu para que o motorista ligasse o GPS e orientou sobre o endereço onde ficaria. Mas ainda no caminho, o suspeito pediu para parar em um posto de combustível e abastecer o carro. A vítima ainda disse que estava tudo bem, mas depois falou: “Se estiver muito difícil, me deixa na rodoviária de novo”.

A todo momento o namorado repetia que estava achando tudo estranho. Momentos após o motorista pedir para abastecer, a mulher começou a gritar. Ouvindo os gritos, o namorado também gritava: “Sai do carro, sai do carro”. Em desespero, ele ainda falou com alguém que estava ao lado dele, dizendo que a namorada estava sofrendo tentativa de abuso.

A ligação foi encerrada e o celular da vítima foi encontrado na rua. Segundo ela, o namorado acompanhou a localização do aparelho, que tinha sido retirado das mãos dela pelo motorista, a força.

Tentou negar tentativa de estupro

Conforme relatado pelo na delegacia, ele buscou a passageira na rodoviária e teria errado a rua, quando, segundo ele, avisou a vítima que faria o retorno. Ele alegou ainda que acabou entrando em uma rua escura. “Ela se apavorou e começou a gritar e eu me desesperei também”, disse.

Ainda de acordo com o acusado, a vítima teria saído correndo, deixando pertences no carro. “Nesse desespero eu joguei as coisas dela”, falou. Pertences da passageira foram encontrados na rua, após ela ativar a busca por localização em tempo real do celular, mas outros objetos ainda estavam no carro do suspeito.

O motorista ainda alegou que não teve tempo de fazer o relatório sobre a corrida ao aplicativo — mesmo afirmando à polícia que fez apenas duas corridas naquela noite, entre meia-noite e quatro horas. Ele também disse que teria cancelado a corrida da vítima sem querer e ainda confirmou que usou de cocaína na madrugada, durante o trabalho.

Vítima relatou momento de desespero com o motorista

Já a vítima contou que chegou na rodoviária e pediu a corrida por aplicativo. No caminho, percebeu que o motorista tinha cancelado a viagem e questionou o que tinha acontecido. Ela ainda notou que o suspeito começou a andar por ruas escuras.

O homem teria pedido para abastecer e a vítima disse que não se importava. No entanto, ao passar perto de um posto, ele parou o carro e trancou as portas, desligando o carro. Foi neste momento que passou as mãos no cabelo da vítima, depois puxou e pegou o celular da passageira.

A mulher não conseguiu abrir a porta, então o motorista novamente ligou o carro, quando a vítima abriu a janela e se jogou do veículo em movimento. Ela correu e conseguiu pedir um celular emprestado para uma pessoa que passava na rua, quando ligou para a Polícia Militar e para o namorado.

O celular da vítima foi encontrado jogado na rua e o suspeito acabou preso em casa pela equipe da PM, encaminhado para a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

Veja também

Operação envolveu quatro delegacias de Campo Grande

Últimas notícias