Gleison Felipe Moreira de Souza, de 36 anos, preso na noite de sexta-feira (17), quando tentava arremessar ‘pombos’ para a Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande revelou que aceitou o trabalho por estar desempregado.

Ele foi preso junto do campeiro Leilson Alves Barbosa de 34 anos, que também estava arremessando ‘pombos’ para dentro do presídio. Os dois disseram em depoimento que estavam desempregados e que estavam em frente de suas casas cada um, quando um desconhecido em uma motocicleta parou e ofereceu R$ 1 mil para que eles fizessem o trabalho. Eles passam por audiência de custódia nesta segunda-feira (20).

O flagrante aconteceu por volta das 22h50 da noite de sexta (17), quando os policiais que faziam rondas na região observaram os dois homens identificados como Gleison Felipe Moreira de Souza de 36 anos e Leilson Alves Barbosa de 34 anos, tentando arremessar pacotes por cima dos muros da penitenciária.

Quando abordados foram encontrados com eles quatro pacotes, sendo que em dois continham porções de maconha e nos outros dois celulares. Tudo estava envolto em espumas e isopores. Eles contaram que foram parados no bairro por um homem em uma motocicleta que ofereceu R$ 1 mil para que arremessassem os ‘pombos’ para dentro da Máxima. Eles não souberam dizer o nome do contratante.