No carro havia maconha e cocaína

O estudante Rodrigo Leite da Silva, de 13 anos, que morreu em um acidente na madrugada deste sábado (30), estava com um ferimento de tiro no pescoço, o fato foi informado pelos peritos para a delegada plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, Priscila Anuda.

“A princípio o ferimento não foi provocado no local onde ocorria o baile funk, onde os ocupantes do Celta estavam”, explica a delegada para a equipe do Jornal Midiamax. Os quatro ocupantes estavam na casa noturna ‘Empório Santo Antônio’, no Bairro Santo Antônio, região oeste de .

No carro foram encontrados uma porção de maconha e nove papelotes de cocaína. Populares ainda disseram que com o impacto dos veículos no cruzamento da avenida Afonso Pena com a Ernesto Geisel, na área central de Campo Grande, latas de cervejas que estavam no automóvel ficaram espalhadas.

Além do estudante, no Celta, branco, placas HSC-5253, de Campo Grande (MS), também estava o lavador de carros, José Felipe dos Santos Fernandes, de 21 anos, que também morreu no local. Os demais ocupantes foram identificados como Thiesro Luan Quevedo dos Santos, de 21 anos, e outro adolescente de 16 anos, que teve o nome preservado por conta do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

Os dois ocupantes foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e estão nternados na Santa Casa em estado grave.

A delegada disse que o Celta era conduzido por Thiesro Luan e que a CNH (Carteira Nacional de Habitação) dele será periciada, pois apresenta irregularidades.

Investigação

A princípio, a polícia trabalha com versões ouvidas no local. Populares disseram que o grupo de jovens que estava no Celta seguia pela Afonso Pena, no sentido bairro/centro, fazendo ‘roleta russa’. “Vamos tentar conseguir imagens de comércios do local para ver isso, pois foi relatado que eles estavam em alta velocidade e não pararam nos semáforos que estavam vermelhos”, explica a delegada.

A polícia quer investigar uma denúncia de que havia uma arma de fogo no carro e que ela e o coldre foram jogados pela janela durante o trajeto que os jovens faziam.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Jornal Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp da redação, no número (67) 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem diretamente com os jornalistas do Jornal Midiamax. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total anonimato garantido pela lei.