Mulher de 31 anos, funcionária de prefeitura de Três Lagoas, foi indiciada pelo crime de falsidade ideológica e peculato na segunda-feira (19). De acordo com a Polícia Civil, Josilene Mariano da Silva trabalhava numa seção de agendamentos médicos da prefeitura e teria passado a emitir atestados médicos falsos. O esquema foi descoberto após uma amiga dela, identificada como Luciana de Jesus Santos, 30 anos, apresentar um atestado falso em uma empresa da cidade.

Conforme a Polícia Civil, ao investigar o atestado médico, Luciana foi questionada sobre o documento e confessou que era falso. Ela ainda revelou que teria conseguido por meio da amiga. Os policiais foram até a residência de Josilene e apreenderam o carimbo e um talonário de atestado médico da prefeitura local.

Josilene confessou à polícia que se apoderou de um talão de atestado médico, do carimbo e passou a emitir atestados falsos. O profissional de saúde não teve envolvimento na atitude da suspeita. Ela também indicou outras pessoas que teriam recebido esses documentos e apresentado em outras empresas da cidade.

Ainda segundo a Polícia Civil, Josilene foi indiciada por falsidade ideológica e peculato. Já Luciana, foi indiciada pelo crime de falsidade ideológica.