Morreu no domingo (15), em Buenos Aires, a ex-miss e apresentadora argentina Patricia Lage, a Patsy, aos 67 anos, por complicações de um AVC. Em seu país, ela era conhecida como ‘Xuxa Nacional’, já que ficou estourou por reproduzir o ‘Xou da Xuxa’, após conhecer o trabalho da ‘Rainha dos Baixinhos’, durante uma viagem de férias.

Seu estrelato na Argentina aconteceu em 1988, quando produziu e apresentou o ‘El Clan de Patsy’, uma cópia do programa apresentado por Xuxa, com direito a todos os detalhes que faziam o ‘Xou da Xuxa’ ser o que era: paquitas, nave espacial e personagens secundários famosos.

No entanto, a cópia era autorizada por Marlene Mattos, diretora do programa e ex-empresária de Xuxa. Patrícia assistiu à atração da Globo durante uma viagem de férias. Decidida a ter um programa de tanto sucesso quanto o brasileiro, entrou em contato com a ex-empresária Marlene Mattos que, após longas conversas, autorizou a reprodução.

Apesar do estouro, Patsy, que na época tinha 32 anos, conseguiu se manter no ar apenas cinco meses, no canal ATC. Isso porque, na época, a Argentina sofria com apagões frequentes de energia e com isso, as emissoras foram obrigadas a priorizar a programação noturna.

Apesar de não ter conseguido se manter na programação pelo tempo que queria, os cinco meses foram suficientes para que ela se tornasse a sensação do momento e uma das maiores personalidades do país. Seu sucesso, inclusive, abriu as portas para que Xuxa, anos depois, pudesse levar o ‘Xou’ ao país vizinho.

Este, claro, não foi o único trabalho de Patrícia nas telinhas. Anos depois ela comandou diversos programas. No entanto, em 2020, a apresentadora sofreu um AVC e viveu uma vida reclusa até o dia de sua morte.