A juíza 1ª Vara Especializada em Crimes contra a Criança e ao Adolescente, Gisele Guida de Faria, aceitou a denúncia e tornou o ator José Dumont réu por armazenamento de pornografia infantil, na sexta-feira (23). O magistrado ponderou que havia provas de materialidade e indícios suficientes par autoria dos crimes.

De acordo com informações do Jornal O Extra, O Globo teve acesso à decisão da magistrada antes do processo ir para segredo de Justiça. A decisão é baseada na prisão em flagrante feita pela Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima, somada pelo relatório técnico e pericial dos policiais na casa do ator, no Catete, Zona Sul do Rio.

Ancelmo Gois, jornalista, havia antecipado a decisão em sua coluna. Procurada pela imprensa, a defesa do autor não se manifestou, até o momento.

Preso em flagrante

Dumont foi preso em flagrante, no último dia 15, acusado de armazenar no computador e telefone imagens e vídeos contendo cenas de pornografia envolvendo crianças e adolescentes. Ainda conforme O Globo, foram encontrado cerca de 240 arquivos ilegais na posse do ator. Ele teria dito em depoimento que o material fazia parte de estudo para futuro trabalho que abordava o tema de abuso sexual.

Um comprovante de depósito bancário para uma suposta vítima de abuso sexual foi encontrada na investigação, o que teria motiva a busca e apreensão na residência, já que estava sendo investigado pelo estupro de um menino de 12 anos, que teria recebido R$ 1 mil reais.

Por toda a movimentação, o Ministério Público da Paraíba (MPPB) anunciou, na última terça-feira (20), a reabertura de investigações em outras denúncias de estupro de vulnerável contra o artista, cometidas em 2009, no município de Cabedelo, onde meninos de 8 a 14 foram abusados sexualmente por ele.

O caso veio à tona depois que duas mulheres procuraram o Ministério Público Federal para denunciar que o ator levava crianças para seu apartamento. O MPF encaminhou a denúncia para o Ministério Público estadual que ouviu as duas testemunhas e ainda uma terceira pessoa. Esta última também confirmou ter visto o ator levando meninos para seu apartamento.

Dumont contratou o escritório do advogado Arthur Lavigne, um dos mais caros e renomados do Brasil. As informações são do portal Notícias da TV. Arthur atuou como advogado de acusação e ajudou a promotoria no caso Daniella Perez, filha da autora de novelas Glória Perez, assassinada em 1992. Dumont agora tenta se livrar da prisão e recorreu ao importante escritório de Lavigne.

Quanto ao caso Daniella Perez, esse advogado foi contatado pela autora da Rede Globo para ajudar na condenação dos assassinos de sua filha. Curiosamente, o caso voltou à tona em julho, após o lançamento da série documental Pacto Brutal-Assassinato de Daniella Perez, disponível na HBO Max.