Prefeito evita dar detalhes de projeto e minimiza dúvidas sobre arrendamento de hospital

O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, minimizou questionamentos sobre o arrendamento do Hospital Sírio-Libanês, em projeto para transformá-lo em Hospital Pediátrico Municipal. A Prefeitura ainda não sabe, por exemplo, quanto vai pagar mensalmente pelo custeio da unidade. A falta de detalhamento do projeto levou o MPE (Ministério Público Estadual) a iniciar uma investigação....
| 20/08/2014
- 18:11
Prefeito evita dar detalhes de projeto e minimiza dúvidas sobre arrendamento de hospital

O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, minimizou questionamentos sobre o arrendamento do Hospital Sírio-Libanês, em projeto para transformá-lo em Hospital Pediátrico Municipal. A Prefeitura ainda não sabe, por exemplo, quanto vai pagar mensalmente pelo custeio da unidade.

A falta de detalhamento do projeto levou o MPE (Ministério Público Estadual) a iniciar uma investigação. Na Câmara Municipal, vereadores de oposição tentam aprovar requerimento pedindo informações sobre o caso.

O que se sabe, até o momento, é que a Prefeitura vai desembolsar R$ 194 mil por mês somente pelo aluguel do prédio, enquanto o custeio é estimado em pelo menos mais R$ 2 milhões. O imóvel, inclusive, está passando por reformas – pagas com dinheiro público, mas cujo detalhes também não foram revelados pelo prefeito – para adequar-se a exigências da vigilância sanitária.

“Está tudo correndo normalmente”, resumiu-se o prefeito, durante assinatura de ordens de serviço para obras de pavimentação, na manhã desta quarta-feira (20). Segundo ele, o MPE já está recebendo informações solicitadas.

Sobre o requerimento questionando o arrendamento, feito pela vereadora Luiza Ribeiro (PPS), o prefeito diz que se refere a “um ou dois vereadores que estão dissonantes com o bem de Campo Grande”.

Últimas notícias