Ministério libera R$ 2 milhões para Prefeitura estudar ‘metrô de superfície’ na Capital

Foi publicada na edição desta terça-feira (29.07), do Diário Oficial da União, a portaria 414 do Ministério das Cidades que aprova a liberação de R$ 72 milhões para Campo Grande, sendo R$ 70 milhões para a implantação de um Centro de Controle Operacional de Gestão Integrada da Mobilidade Urbana e R$ 2 milhões na elaboração […]
| 30/07/2014
- 03:59
Ministério libera R$ 2 milhões para Prefeitura estudar ‘metrô de superfície’ na Capital

Foi publicada na edição desta terça-feira (29.07), do Diário Oficial da União, a portaria 414 do Ministério das Cidades que aprova a liberação de R$ 72 milhões para , sendo R$ 70 milhões para a implantação de um Centro de Controle Operacional de Gestão Integrada da Mobilidade Urbana e R$ 2 milhões na elaboração do projeto de viabilidade técnica-econômica do VTL (Veículo Leve Sobre Trilho). Também serão feitos os projetos dos corredores estruturais de transporte nas avenidas Tamandaré, Mascarenhas de Moraes e Ernesto Geisel, além da reforma dos terminais de ônibus Júlio de Castilho, Guaicurus, , Aero Rancho, Gal. Osório, Nova Bahia e pontos de integração Avedis Balabanian e centro. A publicação desta portaria é a mais uma etapa do processo para liberação de recursos que começou a seleção prévia há dois meses.

O anúncio da aprovação dos recursos que serão liberados a fundo perdido (sem necessidade de pagamento por parte da Prefeitura), foi feito pelo prefeito Gilmar Olarte durante a solenidade da entrega simbólica de uniformes a mais duas escolas da Rede Municipal de Ensino. Nesta terça-feira pela manhã, Olarte esteve nas escolas Antonio José Paniago (no Itamaracá) e Aldo de Queiroz (no bairro Cidade Morena), onde foram entregues uniformes para 2.241 alunos.

Segundo o prefeito, a partir da publicação desta portaria, a Prefeitura está autorizada a elaborar os projetos e encaminhá-los à apreciação da Caixa Econômica Federal que, a partir daí, vai autorizar o processo de licitação. “Além da central do monitoramento que vai modernizar o trânsito de Campo Grande, vamos projetar o sistema de transporte urbano para os próximos 20 anos pelo menos”, assegura Olarte. Em junho, foi assinado contrato de financiamento de R$ 180 milhões para o projeto de mobilidade urbana. “Ainda neste ano, vamos licitar o viaduto da rotatória das avenidas Interlagos e Gury Marques, além do recapeamento das avenidas Bandeirantes e Cônsul Assaf Trad”.

 

O Centro de Controle Operacional será construído na rua Anhanduí, antiga sede da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito). Com ajuda de 40 câmeras e de sensores que serão instalados em 420 cruzamentos semaforizados, o Centro vai controlar o fluxo de tráfego, regulando o tempo dos sinais para garantir maior fluidez.

Além de destravar o sistema viário eliminando pontos de estrangulamento do trânsito, o Centro de Monitoramento também vai aumentar o tempo médio de viagem do transporte coletivo. Os ônibus terão sensores que lhes darão prioridade nos semáforos e permitirão que os usuários acompanhem o deslocamento dos veículos pelo celular. “Vai ser o mesmo sistema da Europa, com integração dos usuários e transporte”, explica a secretária-adjunta de Infraestrutura, Habitação e Transporte, Kátia Moraes de Castilho.

 

Veja também

Confira o filme publicitário comemorativo dos 46 anos de MS, com narração do cantor Paulo Simões, compositor de "Trem do Pantanal"

Últimas notícias