O índio Paulino Terena sofreu nesta segunda-feira (19), por volta das 4 horas, um atentado na Aldeia Moreira, em Miranda – a 203 quilômetros de Campo Grande, onde mora. Um dos tiros atingiu sua perna e os demais o seu carro. Ele foi socorrido por lideranças e encaminhado para o hospital da cidade.

De acordo com o advogado do Conselho Indigenista Missionário, Luiz Henrique Eloy Amado, essa é a segunda vez que o líder sofre um atentado. Segundo o advogado, em dezembro tentaram queimá-lo e atear fogo em sua casa.

Por esse motivo, ele foi enviado para Brasília para ficar em proteção e faz uns dois meses que retornou para a aldeia. Eloy explicou que por ele ser uma liderança de retomada de terras constantemente é ameaçado.

Até o momento o autor dos disparos não foi identificado.