Após cliente de Campo Grande dizer ter perdido emprego porque carro de marca chinesa quebrou duas vezes, a assessoria da marca (Jac Motors) procurou a reportagem para informar que a peça chegou à concessionária e a substituição será feita imediatamente.

Além disso, a Jac Motors declarou que o carro não está mais na garantia, pois a revisão de 10.000 km não foi executada. “Não podemos nos responsabilizar por danos criados em veículos que desobedecem nosso plano de assistência técnica. A revisão serve para que se verifique o funcionamento de componentes, como o sistema de fixação de motor e câmbio”.

Cliente nega e diz que acordo foi feito para estender a garantia

Higor Brandão, de 23 anos, dono do veículo, disse que foi feito acordo com a concessionária para que a garantia fosse estendida. “Comprei o carro agora, como acabou a garantia? Eu não queria fazer a revisão lá, por conta exatamente dos problemas que aconteceram. Entramos em acordo que faria esta última revisão, que até paguei parcela, e seria estendida a garantia”.

Relembre o caso

Higor comprou um J2 novo na concessionária Jac Motors em outubro de 2013. De lá para cá, o coxim do motor do carro quebrou duas vezes. Com o carro parado na concessionária, Higor diz que perdeu o emprego porque precisa do veículo para trabalhar.

Ele garante que já tentou resolver o problema amigavelmente e diz que decidiu entrar com uma ação judicial pedindo indenização por danos morais e materiais.

O jovem alega que comprou um carro novo exatamente para evitar problemas, o que não aconteceu. Com 6.500 km rodados, o coxim do motor quebrou pela primeira vez, em fevereiro. “Tive que cancelar viagem no caminho por conta do problema. E o carro reserva oferecido pela concessionária fazia só uma viagem. Me deixaram na mão”, lamenta.

Em maio, com 14.500 km rodados, o coxim quebrou outra vez. “A mesma peça quebrar duas vezes em 90 dias é preocupante. Ainda mais neste caso, em que precisava de carro para trabalhar. O carro está na concessionária há mais de uma semana, sem previsão de quando fica pronto”, conta.

A demissão foi o estopim para que Higor decidisse entrar com o processo. “Perdi meu emprego, tenho família para criar. Não recomendo a ninguém esta concessionária, perdeu totalmente a credibilidade”, reforçou.