Uma ação em conjunto entre o SIG (Setor de Investigações Gerais) da Polícia Civil e a Força Nacional de Segurança na tarde de segunda-feira (14) resultou na apreensão de quatro adolescentes e um homem de 28 anos, todos moradores na Reserva Indígena de Dourados.

O grupo é acusado de ter assassinado Michele Gonçalves Montanha, 14. O corpo dela foi encontrado no interior de uma plantação de milho na tarde de quinta-feira passada (11), já em decomposição. Além deles, outras três pessoas, um menor e outros dois maiores de idade são investigados.

Segundo relato dos acusados, na noite do dia 5 de julho eles retornavam de uma festa na região, quando encontraram com a menina. Um dos adolescentes teria conversado e tentado manter relação sexual com a vítima.

Diante da negativa, o rapaz a levou para o meio da plantação e a estuprou. Em seguida, os companheiros fizeram o mesmo e mantiveram relação forçada com a indígena. Após o ato, resolveram matar a garota com medo de serem descobertos.

Na quinta-feira, após encontrarem o corpo da menina, lideranças indígenas começaram a identificar os acusados por meio de relatos de pessoas que souberam do ocorrido e acionaram a polícia. Diante das investigações, os cinco foram levados para o 1º Distrito Policial e ouvidos.

Segundo o delegado Adilson Stiguivitis, que cuida do caso, todos os envolvidos serão indiciados pela morte da jovem.

Os outros três suspeitos devem ser identificados e também serão autuados pelo crime, caso seja comprovada a participação deles no caso.

Segundo levantamento feito pelo SIG, de 2013 até este ano, 10 homicídios foram registrados dentro da Reserva Indígena de Dourados. Do total, sete deles terminaram com a prisão em flagrante dos acusados, dois com a identificação dos responsáveis e um caso continua em investigação.